"Zika é mais assustador do que se pensava", dizem especialistas dos EUA

Autoridades de saúde americanas alertam que riscos de propagação e impacto neurológico do vírus são maiores do que o previsto inicialmente e pedem que atletas grávidas não participem dos Jogos Olímpicos no Rio.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) alertou nesta segunda-feira (11/04) que os riscos de propagação e o impacto do vírus zika são maiores do que o inicialmente previsto.

De acordo com a vice-diretora da instituição, Anne Schuchat, os estudos mostram que a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti é "mais assustadora" do que se pensava.

Devido aos graves riscos, o órgão recomenda que atletas grávidas não viajem ao Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos.

Segundo Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA, recentes pesquisas mostram que o zika é destrutivo ao cérebro de fetos e pode causar problemas neurológicos raros em adultos.

Fauci diz que são necessários mais fundos para o desenvolvimento de vacinas e tratamentos e para conter a propagação da doença. Ele adiantou que uma primeira vacina contra o zika pode ser disponibilizada em setembro.

KG/rtr/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos