Equador envia efetivo de 13.500 a zonas de terremoto

Sobe o número das vítimas do tremor de magnitude 7,8 que abalou a costa norte equatoriana. Em solidariedade, União Europeia mobiliza Mecanismo de Proteção Civil, para ajuda na avaliação de danos e apoio material.

O vice-presidente do Equador, Jorge Glas, anunciou a mobilização de 10 mil soldados das Forças Armadas e 3.500 policiais para as áreas afetadas neste sábado (16/04)pelo terremoto na costa norte do país.

O número de mortos no tremor 7,8 pontos na Escala Richter, registrado às 18h58, hora local (20h58 em Brasília), já sobe a pelo menos 77, além de 588 feridos. Glas agradeceu o "patriotismo e solidariedade" das "forças de segurança, médicos e trabalhadores que se mobilizaram para socorrer as vítimas da tragédia".

Estendendo sua gratidão aos "alcaides e prefeitos de todo o país que enviaram maquinaria e víveres, assim como aos empresários que se solidarizaram", o vice-presidente assegurou: "Nenhum equatoriano está só. Somos uma nação forte, solidária, que está unida e sairá fortalecida desta emergência."

Quito declarou estado de emergência nas províncias de Esmeraldas, Manabí, Guayas, Santo Domingo de los Tsáchilas, Los Ríos e Santa Elena, assim como estado de exceção em todo o território nacional.

Assistência europeia

A União Europeia manifestou solidariedade para com o Equador, anunciando que, a pedido das Nações Unidas, foi ativado o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, com o fim de fornecer know-how na avaliação de danos e estudar o eventual envio de auxílio e equipagem.

"O Equador foi golpeado por um terremoto mortal que causou múltiplas vítimas. Nossos pensamentos estão com elas, suas famílias e seus amigos, assim como com todas as pessoas afetadas", declararam a chefe da diplomacia da UE Federica Mogherini, e o comissário europeu par Ajuda Humanitária, Christos Stylianides.

Além dos 28 países-membros da UE, o Mecanismo de Proteção Civil integra, ainda, a Islândia, Montenegro, Noruega, Sérvia, Macedônia e Turquia. No passado, o sistema de apoio em desastres naturais ou humanitários foi mobilizado para terremotos no Chile e no Haiti, assim como em incêndios florestais em vários pontos da Europa e da Ásia.

O papa Francisco lembrou neste domingo, em Roma, as vítimas dos abalos sísmicos tanto no Equador como no Japão, transmitindo condolências aos sobreviventes. "Rezemos pela população. Que a ajuda de Deus e de seus irmãos lhes de força e apoio", conclamou o pontífice argentino diante de milhares de ouvintes. Os tremores dos últimos dias no Japão já causaram 41 mortes.

AV/efe/rtr/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos