Equador busca sobreviventes de terremoto

Tremor de magnitude 7,8 deixa mais de 270 mortos e cerca de 2 mil feridos. "A cifra irá aumentar", alerta o presidente Rafael Correa. Cerca de 10 mil membros das Forças Armadas trabalham nas operações de resgate.

Equipes de busca continuam nesta segunda-feira (18/04) o trabalho de resgate das vítimas do terremoto de magnitude 7,8 que atingiu o litoral norte do Equador no último sábado.

As autoridades do país contabilizaram ao menos 272 mortos e mais de 2 mil feridos. "Temo que essa cifra irá aumentar, porque seguimos removendo os escombros", afirmou neste domingo o presidente equatoriano Rafael Correa, que interrompeu uma viagem oficial à Itália para visitar as áreas afetadas. "O Equador foi atingido com dureza tremenda."

Edifícios, ruas, estradas e balneários foram atingidos. O fornecimento de energia elétrica foi interrompido na região. Cerca de 10 mil homens das Forças Armadas do país foram mobilizados.

Na cidade costeira de Pedernales, uma das mais afetadas, sobreviventes passaram a madrugada nas ruas ao lado dos escombros de suas casas. Barracas improvisadas foram montadas no estádio da cidade para acolher desabrigados. A estrutura intacta também é usada para guardar corpos das vítimas.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) e a União Europeia (UE) ofereceram ajuda ao governo equatoriano para enfrentar o desastre. Os países-membros da UE disponibilizaram 1 milhão de euros em ajuda humanitária ao Equador.

O abalo sísmico de sábado é a pior tragédia ocorrida no país em 67 anos, desde o tremor de Ambato em 1949, que fez mais de 5 mil vítimas, destacou Correa.

KG/rtr/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos