Itália alerta sobre centenas de mortos no Mediterrâneo

Presidente Sergio Mattarella pede que Europa reflita sobre políticas migratórias diante da retomada da perigosa rota entre Líbia e Itália. Segundo ONG, 6 mil migrantes fizeram a travessia na última semana.

O presidente italiano, Sergio Mattarella, afirmou nesta segunda-feira (18/04) que centenas de migrantes podem ter morrido num naufrágio no Mediterrâneo, perto da costa do Egito.

Num evento em Roma, Mattarella disse que a Europa precisa refletir sobre as políticas de migração diante de "mais uma tragédia no Mediterrâneo, em que parece haver centenas de mortos".

O número de vítimas ainda não foi confirmado, mas a guarda costeira italiana informou que o grupo humanitário francês SOS Méditerranée encontrou seis corpos perto da ilha de Lampedusa. Cerca de cem pessoas foram resgatadas.

"O que é certo é que estamos mais uma vez diante de uma tragédia no Mediterrâneo, exatamente um ano depois da tragédia que tivemos em águas líbias", disse o ministro das Relações Exteriores da Itália, Paolo Gentiloni, referindo-se ao desastre que matou centenas de migrantes na costa da Líbia em abril de 2015.

Com as restrições impostas pelos países dos Bálcãs a refugiados que tentam se dirigir ao oeste da Europa a partir da Grécia, a perigosa rota entre a Líbia e a Itália voltou a ser alternativa para milhares de requerentes de asilo.

Segundo Matarella, muitos barcos têm feito a travessia nos últimos dias. A Organização Internacional para as Migrações (OIM) estima que 6 mil migrantes tenham feito a travessia com destino à Europa na semana passada.

KG/rtr/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos