Autópsia descarta suicídio em morte de Prince

Resultados parciais de autópsia não revelam sinais de traumatismo no corpo do cantor, encontrado morto no elevador de sua casa. Hipótese de suicídio é descartada, mas ainda não há conclusão sobre causa da morte.

Um dia depois da morte do cantor americano Prince, aos 57 anos, a polícia de Minnesota descartou a hipótese de suicídio. O corpo do músico foi entregue à família nesta sexta-feira (22/04), após a realização de uma autópsia. A causa da morte ainda está sendo investigada.

"Não havia sinais óbvios de trauma no corpo", disse o xerife Jim Olson, cujo escritório investiga as circunstâncias da morte. "Não temos nenhuma razão para acreditar neste momento que foi um suicídio. O restante está sob análise."

Questionada, em coletiva de imprensa, se o corpo de Prince apresentava indícios de uso de drogas, a porta-voz do escritório de médicos legistas responsável, Martha Weaver, afirmou que "não há nenhuma indicação de overdose neste momento como parte da investigação".

Também não há uma previsão exata para a divulgação dos resultados completos da autópsia, que durou cerca de quatro horas. "A coleta dos dados demora vários dias, e os resultados de um exame toxicológico provavelmente devem levar semanas", diz uma nota do escritório.

"Como parte de um exame completo, serão reunidas informações relevantes a respeito do histórico médico e social do cantor. Tudo que puder ser relevante para a investigação será levado em consideração", explica o comunicado.

Segundo o xerife Olson, Prince foi visto com vida pela última vez por volta das 20h (no horário local) de quarta-feira, por um conhecido que o deixou em casa, em Paisley Park, Minnesota.

Na manhã seguinte, ao não conseguir contato com o músico, três pessoas de sua equipe se dirigiram à residência e o encontraram morto dentro do elevador da mansão, afirmou a autoridade, em coletiva de imprensa.

A equipe de emergência chamada ao local tentou uma reanimação cardiorrespiratória, mas, sem sucesso, Prince foi declarado morto às 10h07. Ele estava sozinho em casa quando morreu, segundo Olson.

A última apresentação de Prince foi em Atlanta há uma semana, no dia 14 de abril. No dia seguinte, o cantor passou mal dentro de seu jatinho particular, obrigando o avião a fazer um pouso não programado em Illinois. O motivo do mal-estar foi uma forte gripe, segundo fontes próximas.

Perfeccionista, inovador e polêmico

Nascido em Minneapolis como Prince Rogers Nelson em 7 de junho de 1958, Prince era considerado um dos cantores, compositores e multi-instrumentistas mais inovadores de seu tempo.

Ele ganhou fama no fim dos anos 1970 e, ao longo das décadas seguintes, estourou canções como Purple Rain, Kiss e Raspberry Beret, que combinam jazz, funk e disco.

De 1993 a 2000, o músico mudou seu nome para um símbolo impronunciável, o que foi visto à época como um protesto contra a sua gravadora. Por um período, chegou a ser chamado de "O Artista Antes Conhecido como Prince".

Muito reservado, ele vendeu mais de cem milhões de discos durante a sua carreira, ganhou sete prêmios Grammy e entrou no Hall da Fama do Rock and Roll em 2004. Seu último disco, "HITnRUN: Phase Two", foi lançado em dezembro de 2015.

Prince se tornou Testemunha de Jeová há 15 anos e era um vegano estrito. Em 2009, falou numa entrevista à rede de TV PBS sobre o fato de ter nascido epilético e ter sofrido convulsões quando criança.

Ele se casou duas vezes: com a sua cantora de apoio Mayte Garcia, em 1996, e depois com Manuela Testolini, em 2001. Os dois casamentos terminaram em divórcio, e o filho dele com Mayte morreu uma semana depois de nascer, em outubro de 1996.

EK/afp/dpa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos