Canadá declara estado de emergência por incêndio

Ventos fortes ameaçam aumentar ainda mais os estragos causados pelas chamas, que interrompeu produção petrolífera na região de Alberta. Cidade de 88 mil habitantes é evacuada em sua totalidade.

O governo do Canadá declarou estado de emergência na província de Alberta, no oeste do país, enquanto o fogo continua a se alastrar nesta quinta-feira (05/05) pela cidade de Fort McMurray.

Toda a população da cidade - cerca de 88 mil pessoas - teve de deixar o local, na maior evacuação já registrada em Alberta. Os ventos fortes ameaçam espalhar ainda mais as chamas, que já incendiaram mais de 1,5 mil edifícios e podem ainda destruir grande parte da cidade, localizada no centro da região das chamadas areias petrolíferas.

O incêndio obrigou as empresas a paralisar a produção de petróleo na região, interrompendo os oleodutos e contribuindo para aumentar o preço do barril de petróleo em todo o mundo.

Cerca de 250 bombeiros, apoiados por nove aviões e uma dúzia de helicópteros, combatem o incêndio no local. As Forças Armadas foram colocadas em prontidão.

"Obviamente, a evacuação de Fort McMurray foi extremamente difícil, não apenas para a província e para as autoridades, mas para as pessoas que vivem lá", afirmou o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau.

Em seu perfil no Twitter, Trudeau afirmou: "Apesar de as perdas em Alberta serem devastadoras, vamos superar isso juntos - como vizinhos, amigos e canadenses. Podem contar com nosso apoio."

Os moradores congestionaram as rodovias e se alojaram nos campos operados pelas empresas de energia. Os habitantes das regiões próximas ofereceram abrigo, suprimentos e alimentos aos que tiveram de abandonar suas casas.

As autoridades tiveram de expandiir a área de evacuação para outros vilarejos próximos a Fort McMurray. Milhares de pessoas que buscavam abrigo nessas localidades tiveram de se deslocar novamente para se refugiar em outros locais.

As chamas bloquearam a única rota rumo às maiores cidades no sul do país, o que fez com que milhares de pessoas se dirigissem para o norte, em direção às instalações das empresas petrolíferas e de alguns pequenos vilarejos.

O fogo ameaça se espalhar para o outro lado do rio de onde começou. Os bombeiros disseram que as chamas devem ganhar força no decorrer do dia, e que não há previsão para o fim do incêndio.

O fogo teria surgido devido às altas temperaturas e ao tempo seco em boa parte da província.

RC/dpa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos