Lenda do boxe, Muhammad Ali morre aos 74

"O maior", três vezes campeão mundial dos pesos-pesados e considerado um dos maiores boxeadores de todos os tempos, ex-esportista americano lutava contra a doença de Parkinson há mais de três décadas.

O esportista americano Muhammad Ali, considerado o maior boxeador da história, morreu na noite desta sexta-feira (03/06) num hospital em Phoenix, no Arizona, aos 74 anos. Ali, que sofria de Parkinson há décadas, havia sido internado no começo desta semana por complicações respiratórias.

"Depois de um combate de 32 anos contra a doença de Parkinson, Muhammad Ali faleceu aos 74 anos de idade", anunciou o porta-voz da família, Bob Gunnell. "O três vezes campeão mundial dos pesos-pesados morreu esta noite."

Segundo Gunnell, o enterro será realizado na cidade natal do boxeador, Louisville, no Kentucky, mas a data ainda não foi definida. Ele vivia nas proximidades de Phoenix com sua quarta mulher, Lonnie, com quem se casou em 1986, e deixa sete filhas e dois filhos.

Ali foi diagnosticado com Parkinson três anos após se aposentar, em 1981. Médicos associam a doença aos muitos socos que ele recebeu na cabeça durante a notória carreira de três décadas. Nos últimos anos, Ali foi hospitalizado diversas vezes. Em 2014, recebeu tratamento por um caso leve de pneumonia e, no ano passado, foi internado por conta de uma infecção urinária.

Mesmo com suas limitações físicas, o esportista não deixou de fazer aparições públicas. A última foi em abril, num evento para arrecadar fundos para organizações de caridade no Arizona. Em dezembro último, emitiu um comunicado repreendendo as declarações do pré-candidato à Presidência dos EUA, Donald Trump, sobre a proibição da entrada de muçulmanos no país.

"O maior"

Ali nasceu com o nome de Cassius Marcellus Clay Jr, em 17 de janeiro de 1942. Os treinos de boxe surgiram como uma tentativa de se vingar do roubo de uma bicicleta, aos 12 anos, mas acabaram se tornando carreira. Aos 18, já era campeão olímpico em Roma.

"Eu sou como uma borboleta, pico como uma abelha, eu sou o maior", afirmava o jovem Cassius Clay. Aos 22 anos, tornou-se campeão do mundo dos pesos-pesados pela primeira vez, derrotando Sonny Liston.

Em seguida, decidiu mudar de nome e passou a se chamar Cassius X, em homenagem ao líder dos "Black Muslims", Malcolm X, um grande defensor dos direitos dos negros nos Estados Unidos. Ele se converteu ao islã um mês mais tarde, quando adotou o nome de Muhammad Ali.

O boxeador conservou o título de campeão mundial até 1967, quando foi destituído por se recusar a participar na Guerra do Vietnã. Ele escapou da prisão, mas foi afastado dos ringues. Indultado em 1971, Ali reconquistou o título em 1974, numa luta histórica contra George Foreman.

Em 1978, deixou de ser campeão mundial ao perder para Leon Spinks, mas recuperou o título meses mais tarde, no mesmo ano. Perdeu para o compatriota Larry Holmes em outubro de 1981 e, dois meses depois, uma derrota contra Trevor Berbick seria seu último combate.

Depois de uma carreira de 30 anos - que se estendeu entre 1960 e 1981 - com 56 vitórias em 61 combates, incluindo 22 em campeonatos mundiais, Muhammad Ali pendurou as luvas.

Em 1996, Ali foi escolhido para acender a tocha olímpica em Atlanta e, dois anos mais tarde, foi nomeado enviado da paz pelas Nações Unidas. Em 1999, foi considerado a "Personalidade Desportiva do Século XX" pela Sports Illustrated. Recebeu ainda a mais alta distinção atribuída a um civil nos Estados Unidos: a presidencial Medalha da Liberdade, em 2005.

EK/afp/dpa/lusa/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos