Às vésperas da Eurocopa, França lança aplicativo que alerta sobre atentados

Criado pelo Ministério do Interior, aplicativo para dispositivos móveis notifica usuários sobre suspeitas de ataques terroristas, mas divide opiniões. Torneio ocorre sete meses depois dos atos de 13 de Novembro em Paris.

A dois dias do início da Eurocopa 2016, a França lançou nesta quarta-feira (08/06) um aplicativo que alerta usuários sobre suspeitas de ataques terroristas. O torneio de seleções da Europa ocorre no país apenas sete meses depois dos atentados de 13 de Novembro em Paris, que deixaram 130 mortos.

O aplicativo para dispositivos móveis, criado pelo Ministério do Interior e batizado de SAIP, mostrará uma notificação na tela do aparelho quando houver um evento excepcional próximo à localização do usuário. Também é possível solicitar alertas para até oito áreas geográficas, como CEPs e bairros.

Disponível gratuitamente para iOS e Android, em inglês e francês, o aplicativo ainda fornece instruções e dicas de como proceder, dependendo da natureza do alerta. Também permite que os usuários compartilhem esses alertas em suas contas pessoais em redes sociais.

Entre os internautas, as primeiras impressões sobre o SAIP foram variadas. "Muito bom, era o que faltava", escreveu um usuário, em português, na página do aplicativo na loja Google Play. "Não é muito tranquilizador, mas é útil", disse mais um, dessa vez no Twitter.

"As coisas estão melhorando? A criação do SAIP leva a pensar que, pelo menos em termos de segurança, não é realmente esse o caso", opinou outro internauta, referindo-se ao mantra do presidente francês, François Hollande, de que a vida na França está ficando melhor.

Segurança reforçada

A França permanece em estado de emergência desde os recentes ataques terroristas em Paris, em novembro, e em Bruxelas, em 22 de março. Para a Eurocopa, que começa nesta sexta-feira, o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, revelou que várias medidas estão sendo colocadas em prática.

Ele disse que 90 mil policiais, soldados, guardas de segurança privada e socorristas foram destacados para o evento, que vai contar com a participação de 24 seleções europeias.

Em seu discurso, Cazeneuve descreveu os esforços para proteger a 15ª edição do torneio como "uma mobilização total do Estado, bem como das cidades-sede e dos organizadores".

O ministro também observou que as forças de segurança estão fazendo seu dever de casa, tendo realizado dezenas de treinamentos práticos para se preparar para qualquer tipo de ataque possível.

EK/afp/rtr/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos