Atentado em Tel Aviv deixa quatro mortos

Dois homens armados abrem fogo em zona comercial no centro da cidade israelense, matando pelo menos quatro pessoas. Atiradores são primos palestinos e foram detidos pela segurança, diz polícia. Um deles está ferido.

Dois homens armados dispararam tiros numa zona comercial no centro de Tel Aviv nesta quarta-feira (08/06), matando pelo menos quatro israelenses e ferindo cinco. Segundo autoridades de Israel, os dois atiradores são palestinos e foram detidos por oficiais de segurança.

"Dois terroristas abriram fogo contra civis", revelou o comandante da polícia do distrito de Tel Aviv Moshe Edri, acrescentando que um dos atiradores estava sendo tratado porque levou um tiro. Segundo o hospital Ichilov, as quatro vítimas chegaram vivas, mas morreram devido aos ferimentos.

Autoridades informaram inicialmente que poderia haver um terceiro suspeito, mas a hipótese foi mais tarde descartada. A polícia também afirmou que não recebeu qualquer informação da inteligência israelense sobre planos de ataque em Tel Aviv.

Segundo testemunhas citadas pelo canal de televisão israelense Channel 10, os dois atiradores vestiam terno e gravata e passaram um tempo sentados no bar de um restaurante próximo antes de abrir fogo em frente ao centro comercial Sarona, bastante frequentando por locais.

Shlomi Hajaj, diretor do mercado, contou à emissora que guardas de segurança que ficam na entrada do Sarona "impediram que os atiradores entrassem no recinto, evitando um desastre ainda maior". O mercado fica próximo ao prédio do Ministério da Defesa.

A testemunha Meital Sassi, que comemorava o aniversário do filho no local, revelou ao Channel 10 que ouviu os tiros e "imediatamente entendeu que se tratava de um ataque terrorista". "Nós corremos muito rápido com o bebê e o carrinho. Eu gritava para as pessoas que não entendiam o que estava acontecendo para elas correrem", contou a israelense.

Em comunicado, o porta-voz da polícia Luba Samri afirmou que os dois terroristas eram primos e vinham da aldeia palestina de Yatta, nas proximidades de Hebron, que é a maior cidade da Cisjordânia e tem sido palco de violentos ataques nos últimos tempos.

Ismail Haniya, um dos líderes do Hamas, grupo islamista que ocupa a Faixa de Gaza, celebrou o ataque em mensagem publicada na rede social Twitter. "Glória e felicitações aos habitantes de Hebron", escreveu. O grupo, porém, não reivindicou a autoria do atentado.

Nos últimos seis meses, ataques palestinos deixaram 31 israelenses e dois turistas americanos mortos. Do outro lado, forças de Israel mataram 196 palestinos, sendo que 134 foram identificados como terroristas pelo país. O restante morreu em confrontos ou protestos.

EK/afp/ap/dpa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos