Itália anula Bélgica e vence na estreia

Philip Verminnen

No primeiro grande jogo da Eurocopa 2016 prevaleceu a experiência e a tradição italiana frente à qualidade técnica dos belgas. Emanuele Giaccherini e Graziano Pellè, nos acréscimos, garantem a vitória da Squadra Azzurra.

O primeiro confronto entre seleções consideradas aspirantes ao título da Eurocopa 2016 pode ser considerado a melhor partida do torneio, até então. Ambas as equipes procuraram o jogo e, no final, prevaleceu a experiência e a tradição da Itália contra a qualidade técnica da Bélgica. Emanuele Giaccherini, aos 31 minutos do primeiro tempo, e Graziano Pellè, nos acréscimos da etapa complementar, anotaram os gols da partida.

A Itália mandou a campo a escalação com a maior idade média da história da Eurocopa - 31 anos e 169 dias. A malograda renovação no futebol italiano é sintomática, especialmente no setor criativo e ofensivo, onde o brasileiro naturalizado Éder e o desconhecido Graziano Pellè, que teve bons momentos no Southampton, da Inglaterra, são os titulares.

Como não podia ser diferente, o treinador Antonio Conte escolheu uma formação tática mais preocupada em congestionar o meio-campo. O jogo começou bastante aberto, visivelmente com um nível técnico melhor do que as partidas anteriores desta Eurocopa, porém sem finalizações perigosas.

Aos 10 minutos, Radja Nainggolan concluiu bela trama ofensiva com um chute de fora da área, que foi espalmado por Gianluigi Buffon para escanteio. A Itália tinha maior posse de bola, mas eram os belgas que construíam as jogadas mais incisivas.

As finalizações de longa distância eram os principais lances de perigo. Aos 21 minutos, novamente o volante Nainggolan chegou bem ao campo de ataque, mas o arremate saiu à direita da meta de Buffon. Pouco depois, Laurent Ciman arriscou também e ganhou um escanteio para a equipe belga.

E quando a Bélgica dava sinais de dominar a partida, Leonardo Bonucci efetuou um belíssimo lançamento longo que encontrou Emanuele Giaccherini livre dentro da área belga. O atacante do Bologna dominou a bola perfeitamente e tocou na saída do goleiro Thibaut Courtois. Eram jogados 31 minutos.

A Bélgica sentiu o golpe e quase viu a Squadra Azzurra ampliar o placar com Antonio Candreva, defendido por Courtois, e Pellè, que, livre dentro da pequena área, cabeceou rente à trave belga. A resposta dos Diabos Vermelhos veio aos 39 minutos, com Axel Witsel, em nova finalização de longa distância.

Um primeiro tempo onde ficou claro que os desfalques defensivos da Bélgica - sem o capitão Vincent Kompany e o volante Nicolas Lombaerts, ambos contundidos - provocaram certas inseguranças, principalmente pelo lado de Jan Vertonghen, que foi dominado por Candreva. Além disso, a lentidão ofensiva da Bélgica facilitou o trabalho da Itália.

Quando a Bélgica finalmente conseguiu furar a muralha defensiva da Itália, aos 8 minutos do segundo tempo, Romelu Lukaku não manteve a frieza necessária na saída de Buffon e desperdiçou ótima chance. Praticamente no lance seguinte, Pellè obrigou Courtois a uma defesa dificílima, após cabeçada dentro da pequena área.

Taticamente bem postada, a Itália permitiu muitas poucas chances ao ataque belga. Nas poucas ocasiões que conseguiu furar a retranca italiana, os Diabos Vermelhos foram parados com faltas táticas. Aos 37 minutos, Divock Origi cabeceou por cima do travessão de Buffon.

As insistentes tentativas de empatar a partida davam espaços para contra-ataques italianos. Aos 39, Ciro Immobile obrigou Courtois, o melhor belga em campo, a outra espetacular defesa. A pressão belga não obteve resultados. Pior: na último ação da partida a Itália sacramentou os valiosos três pontos com Graziano Pellè - 2 a 0 para a Itália, na primeira grande partida desta Eurocopa.

Ibrahimovic estreia com empate

Mais cedo, em partida válida pelo mesmo Grupo E, Irlanda e Suécia empataram em 1 a 1. Os irlandeses abriram o marcador aos três minutos do segundo tempo. Seamus Coleman cruzou da direta e Wesley Hoolahan pegou de bate-pronto, sem chances para o goleiro sueco Andreas Isaksson.

A Suécia, que efetuou nenhum chute à meta irlandesa em todo o jogo, chegou ao empate com um gol contra do zagueiro Ciaran Clark, que tentou cortar um cruzamento de Zlatan Ibrahimovic. O astro sueco esteve bastante apagado na partida, na qual a Irlanda teve as melhores chances para sair vencedora.

Ficha técnica

Bélgica 0 x 2 Itália

Local: Stade de Lyon, Lyon

Arbitragem: Marc Clattenburg (Inglaterra) auxiliado por seus compatriotas Simon Beck e Jake Collin.

Gol: Emanuele Giaccherini (31'/1T) e Graziano Pellè (45+2'/2T)

Cartões amarelos: Giorgio Chiellini (20'/2T), Éder (29'/2T), Leonardo Bonucci (32'/2T), Thiago Motta (39'/2T) e Jan Vertonghen (45+1'/2T)

Bélgica: Thibaut Courtois; Laurent Ciman (Yannick Ferreira-Carrasco 29'/2T), Toby Alderweireld, Thomas Vermaelen e Jan Vertonghen; Axel Witsel e Radja Nainggolan (Dries Mertens 16'/2T); Kevin De Bruyne, Marouane Fellaini e Eden Hazard; Romelu Lukaku (Divock Origi 27'/2T). Técnico: Marc Wilmots.

Itália: Gianluigi Buffon; Andrea Barzagli, Leonardo Bonucci e Giorgio Chiellini; Daniele De Rossi (Thiago Motta 33'/2T), Antonio Candreva, Marco Parolo, Matteo Darmian (Mattia De Sciglio 13'/2T) e Emanuele Giaccherini; Éder (Ciro Immobile 29'/2T) e Graziano Pellè. Técnico: Antonio Conte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos