O que se sabe sobre o massacre em Orlando

Considerado o pior ataque a tiros da história recente dos EUA, atentado à boate gay deixou ao menos 50 mortos, incluindo o atirador. Veja o que já foi esclarecido, da motivação do suspeito à identidade das vítimas.

Ainda restam muitas perguntas sem resposta sobre o massacre que deixou 50 mortos, incluindo o atirador, e 53 feridos em Orlando, nos Estados Unidos, neste domingo (12/06). O ataque, considerado o pior a tiros na história recente do país, aconteceu na boate gay Pulse.

O procurador federal da Flórida, Lee Bently, afirmou nesta segunda-feira que as invesatigações estão "nos passos iniciais" e que ainda não há indícios de que outra pessoa tenha colaborado com o crime.

Veja o que já foi revelado sobre o ataque:

Quem é o suspeito?

Omar Mateen, de 29 anos, é cidadão dos EUA, nascido em Nova York e filhos de pais afegãos.

O que aconteceu?

Mateen entrou atirando na boate Pulse por volta das 2h (hora local). Depois de ferir e matar dezenas, ele morreu em um tiroteio com a polícia, que conseguiu entrar no estabelecimento cerca três horas após o início do ataque, segundo informaram as autoridades.

Como esse atentado se compara a outros ocorridos nos EUA?

Esse é o pior massacre a tiros da história recente do país e parece ter várias dimensões. Há suspeita de que o atirador estivesse ligado a algum grupo islâmico radical e, talvez, até mesmo a grupos de terrorismo internacional. O ataque também pode ter sido cometido por ódio contra homossexuais, o que desperta preocupação sobre a aceitação e segurança de gays, lésbicas e outras minorias nos Estados Unidos. O massacre ainda reacendeu o debate sobre as leis americanas em relação ao porte de armas.

Por que o atentado está sendo considerado o pior da história recente do país?

Por conta do número de vítimas. O massacre anterior que ocupava o terrível posto ocorreu em 2007, quando um estudante da universidade Virginia Tech matou 32 pessoas antes de se suicidar.

O que aconteceu dentro da boate? Como o atirador conseguiu matar tantas pessoas?

Ainda não está totalmente claro. A casa noturna Pulse tem várias pistas de dança em ambientes separados e menores. O atirador fez reféns antes de a polícia invadir o local, cerca de três horas após o início do atentado. Testemunhas contam que ele atirava de um lado para o outro incessantemente. Ainda não foi esclarecido se a polícia poderia ter entrado na casa noturna mais cedo. Horas após o tiroteio ainda havia vítimas sendo resgatadas do prédio.

O atirador era um radical muçulmano?

Ainda não se sabe. Durante o ataque, Mateen ligou para o número de emergência da polícia para jurar lealdade ao grupo "Estado Islâmico" (EI). O EI reivindicou o atentado. O pai de Mateen disse, no dia seguinte à tragédia, que o ataque "não tem nada a ver com religião". A ex-esposa do atirador o descreveu como mentalmente instável e violento. Ao cometer o crime, Mateen não constava de nenhuma lista de suspeitos de terrorismo e nem estava sob vigilância, afirmou o FBI.

O criminoso agiu sozinho?

O chefe de polícia de Orlando, John Mina, declarou que Mateen parece ter agido sozinho e que não há evidência de que ele tivesse qualquer ajuda externa. O atirador portava um fuzil AR-15, uma pistola e um número desconhecido de cartuchos de munição. Uma terceira arma foi encontrada no carro de Mateen.

Como ele obteve as armas usadas no crime?

Trevor Velinor, agente do Departamento de Tabaco, Álcool, Armas de Fogo e Explosivos, confirmou que o atirador comprou as armas de forma legal na semana passada. O fato desperta atenção, já que Mateen foi investigado pelo FBI em 2013 por conta de uma suspeita de ligação com militantes terroristas. Na época, não foi achada qualquer evidência conclusiva contra ele. Na empresa de serviços de segurança onde Mateen trabalhava, portar armas faz parte do cotidiano.

Por que ele escolheu a boate Pulse como alvo?

Ainda não foi esclarecido. Ele dirigiu um carro alugado por pelo menos 170 quilômetros para chegar à boate.

Como o atirador morreu?

Um policial enfrentou Mateen na entrada da casa noturna. A seguir, mais policias entraram no local. Em meio ao tiroteio, o criminoso se refugou em um banheiro, permitindo que vários frequentadores fugissem do local. Após evacuar a maior parte da boate, a polícia detonou explosivos para abrir uma saída no banheiro, onde o atirador se escondia e fazia reféns. Mais pessoas conseguiram fugir por ali, mas o próprio Mateen usou o buraco na parede para trocar tiros com policiais. Agentes da Swat, forças especiais da polícia americana, entraram e trocaram tiros com o terrorista, que morreu no local.

Quem foram as vítimas?

A prefeitura de Orlando está divulgando aos poucos os nomes e idades das vítimas através de seu site. Elas tinham entre 20 e 50 anos de idade, tendo 39 delas morrido na casa noturna, e onze após serem socorridas. Parte dos 53 feridos está em estado crítico. O 50º morto da cifra divulgada foi o próprio atirador, baleado em confronto com a polícia. Uma pessoa ainda não foi identificada.

KG/TAM/dpa/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos