Reino Unido suspende campanhas pré-referendo após ataque a parlamentar

Deputada do Partido Trabalhista, que apoia permanência do Reino Unido na UE, levou dois tiros ao tentar impedir briga entre dois homens durante encontro com eleitores. Cameron afirma estar "muito preocupado".

As campanhas do referendo sobre a saída ou permanência do Reino Unido na União Europeia (UE) foram suspensas por um dia nesta quinta-feira (16/06) após uma deputada inglesa ser baleada esfaqueada no norte da Inglaterra.

A deputada Jo Cox, do Partido Trabalhista britânico, que é contrária ao "Brexit" (saíds do Reino Unido da UE), levou dois tiros na cidade de Birstall, durante um encontro com eleitores. A parlamentar de 41 anos teria intervido numa briga entre dois homens. Um deles estava armado e atirou contra Cox, que foi levada ao hospital de Leeds em estado grave. O suspeito de ter atirado foi preso pela polícia.

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, escreveu no Twitter que está "absolutamente chocado" pelas notícias sobre o ataque contra Cox: "Os pensamento de todo o Partido Trabalhista estão com ela e sua família neste momento."

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse está "muito preocupado" com o incidente. "Nossos pensamentos e orações estão com Jo e sua família", escreveu no Twitter.

Ambos os lados da campanha pelo referendo marcado para 23 de junho concordaram em suspender as campanhas nesta quinta-feira.

KG/ap/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos