Parlamento britânico presta homenagem a deputada assassinada

A poucos dias do referendo sobre o Brexit, políticos lembram Jo Cox e pedem que nação se una contra o ódio. Apoio à permanência na UE sobe após morte da deputada, deixando a disputa praticamente empatada.

Às vésperas da eleição sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (UE), políticos britânicos prestaram homenagens nesta segunda-feira (20/06) à deputada Jo Cox, assassinada no norte da Inglaterra na quinta-feira passada. O primeiro-ministro David Cameron instou a nação a se unir "contra o ódio que a matou".

Numa rara demonstração de unidade, membros do Parlamento retornaram à Câmara dos Comuns para uma sessão especial, em meio ao recesso por causa do referendo. Numa ruptura com a tradição, parlamentares foram autorizados a sentar-se misturados, em vez de separados por agrupamentos partidários.

A deputada do Partido Trabalhista foi baleada e esfaqueada numa rua da cidade de Birstall enquanto se encontrava com eleitores. Uma rosa vermelha e uma branca foram colocadas no assento ocupado por ela na Parlamento. A flor branca representa a terra natal, Yorkshire, e a vermelha, o Partido Trabalhista.

Após o assassinato, vários analistas questionaram se o tom do debate político sobre o referendo contribuiu para a morte da deputada de 41 anos.

Nesta segunda-feira, uma conhecida deputada do Partido Conservador, Sayeeda Warsi, até então defensora da saída do Reino Unido da UE, anunciou que decidiu desertar para o lado favorável à permanência. Warsi acusou os ativistas do Brexit de disseminarem o ódio e a xenofobia e abafarem vozes mais moderadas.

Ódio foi uma palavra usada também pelo primeiro-ministro britânico durante seu discurso na Câmara dos Comuns. Cameron pediu à nação que se lembre de Cox "unindo-se hoje e sempre contra o ódio que a matou". O premiê reiterou seu pedido para que os eleitores votem a favor da permanência britânica no bloco europeu. "Se de fato sairmos [da UE], estaremos saindo pela porta, estaremos desistindo", afirmou. "Não acredito que o Reino Unido seja alguém que desista. Acho que ficamos e lutamos. E é isso que devemos fazer."

A sessão parlamentar extraordinária ocorreu três dias antes de o Reino Unido ir às urnas para o referendo sobre o Brexit. De acordo com uma média das recentes pesquisas, calculadas pelo instituto What UK Thinks, o apoio pela permanência aumentou durante o fim de semana, deixando ambos os lados praticamente empatados.

A casa britânica de apostas Betfair também afirmou que a probabilidade de o Reino Unido votar pela permanência na União Europeia aumentou em sete pontos percentuais desde sexta-feira, atingindo a marca de 72%.

PV/lusa/dw

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos