COI confirma suspensão do atletismo russo

Apesar de confirmar banimento de equipe russa, comitê abre exceção para competidores que provarem não terem usado doping. Eles, porém, terão que passar por testes adicionais para garantir participação.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou nesta terça-feira (21/06) a decisão da Federação Internacional de Atletismo (Iaaf) de banir russos das competições de atletismo nos Jogos do Rio.

Porém, segundo o COI, qualquer competidor da Rússia que queira participar dos Jogos em agosto terá que ser avaliado individualmente e declarado apto por sua respectiva federação esportiva internacional.

De acordo com o presidente do COI, Thomas Bach, esses competidores serão avaliados individualmente e passarão por exames aplicados pela Iaaf. Atletas declarados limpos pelo Tribunal Arbitral do Esporte também poderão participar da Rio 2016. Além disso, sua participação deverá ser aprovada pela Rússia.

"Devido à declaração de não cumprimento [da Agência Mundial Antidoping] sobre a Rússia e o Quênia e as alegações substanciais relacionadas, a cúpula olímpica considera que o pressuposto de inocência no atletismo desses países foi colocado seriamente em questão", disse Bach.

O presidente do COI acrescentou que, se os competidores da Rússia foram aprovados, eles vão competir como integrantes do Comitê Olímpico Russo, desmentido assim os boatos de que atletas poderiam participar dos Jogos sob uma bandeira neutra ou olímpica.

O presidente do Comitê Olímpico Russo, Aleksander Zhukov, disse que os competidores russos vão recorrer da decisão junto ao Tribunal Arbitral do Esporte. Bach garantiu que aqueles que tiveram o banimento revogado pela corte poderão participar dos Jogos Olímpicos.

"Nossa posição é clara: respeitamos a decisão da Iaaf. Informamos aos competidores e ao comitê russo que a apelação é possível. Esse é um direito de todos. Vamos esperar os resultados do tribunal", reforçou Bach.

A Federação Internacional de Atletismo decidiu na semana passada manter a suspensão a todos os competidores russos de atletismo, em meio ao escândalo que relacionou vários atletas do país a um programa sistemático de dopagem.

A decisão foi tomada após a divulgação de mais um relatório da Wada sobre doping na Rússia, uma das superpotências no atletismo. Com nomes como a saltadora Yelena Isinbayeva, o país foi segundo lugar no quadro de medalhas de atletismo nos Jogos de 2012.

Além da Rússia, o Quênia enfrenta um problema semelhante. A medida aprovada pelo COI nesta terça-feira também será aplicada para competidores quenianos de atletismo.

CN/rtr/afp/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos