Aumenta número de dependentes químicos no mundo

Ressurgimento da heroína, sobretudo nos EUA e na Europa, é o principal fator para primeiro incremento registrado em seis anos. Em 2014, quase 250 milhões de pessoas consumiram ao menos um tipo de droga.

O número de dependentes químicos no mundo aumentou pela primeira vez em seis anos, aponta um relatório divulgado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) nesta quinta-feira (23/06).

A quantidade de dependentes passou de 27 milhões em 2013 para 29 milhões em 2014. O crescimento se deve, principalmente, ao ressurgimento da heroína como uma droga popular. Segundo especialistas, o entorpecente se tornou uma epidemia nos Estados Unidos. Na Europa, também foi registrado um aumento no consumo.

"A heroína continua sendo a droga que mais mata pessoas, e seu ressurgimento deve ser abordado com urgência", afirmou o diretor da UNODC, Yuri Fedotov.

O número de usuários de heroína nos Estados Unidos chegou a cerca de 1 milhão, o maior já registrado em 20 anos. Desde 2000, as mortes relacionadas à droga quintuplicaram no país.

Segundo a agência da ONU, o ressurgimento da heroína nos EUA pode estar relacionado a uma mudança na legislação que dificultou o consumo de outros opiáceos e à facilidade de acesso a esse tipo de entorpecente no mercado negro, além de seu baixo valor de venda.

A UNODC também alertou que os primeiros sinais do ressurgimento da heroína já são observados na Europa, principalmente na França, Alemanha e Itália.

Maconha é mais usada

Em todo mundo, 207 mil pessoas morreram devido ao consumo de drogas em 2014. A taxa de mortalidade é 15 vezes maior entre consumidores de drogas injetáveis do que entre não usuários na mesma faixa etária.

O relatório anual sobre drogas alertou que a injeção de heroína ou outros opiáceos representa um risco elevado à saúde não só por overdoses, mas também devido ao contágio de doenças com a aids e a hepatite C. Entre os 12 milhões de usuários de drogas injetáveis, 14% são portadores do vírus HIV.

O relatório aponta ainda que quase 250 milhões de pessoas entre 15 e 64 anos consumiram pelo menos um tipo de droga em 2014. A maconha continua sendo a substância ilegal mais usada no mundo, com 183 milhões de consumidores, seguida de drogas sintéticas, incluindo anfetaminas e ecstasy, com 55 milhões.

Embora um terço dos usuários de drogas sejam mulheres, entre as pessoas em tratamento apenas uma em cada cinco é de sexo feminino. Esse número mostra que o acesso a esse tipo de terapia é mais restrito para as mulheres.

CN/efe/rtr/dpa/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos