Rússia e Turquia concordam em reavivar relações após crise diplomática

Em primeiro telefonema desde que a Turquia abateu um caça russo há sete meses, Erdogan e Putin concordam em se reunir pessoalmente. Presidente turco lamenta incidente, e Moscou anuncia que removerá sanções a Ancara.

Os presidentes da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e da Rússia, Vladimir Putin, concordaram em se encontrar pessoalmente a fim de "reavivar as relações bilaterais". Nesta quarta-feira (29/06), os líderes conversaram por telefone pela primeira vez desde que a Turquia abateu um caça russo.

Em novembro de 2015, as Forças Aéreas da Turquia derrubaram um avião da Rússia próximo à fronteira com a Síria, alegando que o caça havia violado o espaço aéreo turco, o que é negado pelas russos. Desde então, as relações entre Ancara e Moscou ficaram estremecidas.

"Reiterando o compromisso em reavivar as relações bilaterais e em lutar juntos contra o terrorismo, os dois líderes concordaram em se manter em contato e se encontrar pessoalmente", diz um comunicado da presidência turca, sem precisar quando o encontro pode ocorrer.

Agências internacionais afirmam que Erdogan e Putin se reunirão em setembro durante a cúpula do G20 na China. Os dois presidentes "darão os passos necessários para cooperar frente às crises políticas, econômicas e humanitárias da região", acrescenta o texto.

Além disso, os líderes concordaram com um encontro entre seus respectivos ministros do Exterior durante um evento nesta semana em Sochi, na Rússia, para discutir questões como a guerra síria.

Ainda segundo agências internacionais, Putin teria também expressado, no telefonema com o colega turco, suas condolências a Erdogan e ao povo de seu país pelo ataque terrorista que deixou 41 mortos e centenas de feridos no aeroporto Atatürk, em Istambul, na noite desta terça-feira.

Fim das sanções

A conversa telefônica, na manhã desta quarta-feira, aconteceu depois de Erdogan ter escrito uma carta a Putin, no início da semana, expressando pesar sobre o incidente envolvendo o caça russo, que foi classificado por Moscou como "uma punhalada traiçoeira nas costas".

As autoridades turcas também revelaram que irão processar o cidadão turco acusado de matar o russo que pilotava o caça abatido, após este ter saltado do avião de paraquedas. A Rússia já havia exigido um pedido de desculpas formal pelo ocorrido, o que só ocorreu nesta semana.

A tensão diplomática levou Moscou a impor sanções a Ancara, como impedir que cidadãos russos viajem ao país, o que afetou gravemente o setor do turismo, vital para a economia turca. Nesta quarta-feira, Putin anunciou que removeria essas restrições de viagem à Turquia.

"Eu peço para que o governo russo dê início ao processo de normalizar os laços econômicos e comerciais com a Turquia", revelou o presidente da Rússia após a conversa telefônica.

EK/dw/afp/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos