França encerra conto de fadas da Islândia

Com primeiro tempo avassalador, seleção francesa goleia islandeses em jogo com maior número de gols na Eurocopa. Partida recheada de recordes e uma homenagem ao maior jogador islandês da história: Eidur Gudjohnsen.

Acabou a fábula da Islândia na Eurocopa 2016. Após brilhantemente alcançar as quartas de final do principal torneio de seleções europeias, a pequena Islândia foi atropelada pela anfitriã França, neste domingo (03/07), no Stade de France. O golpe de realidade veio ainda no primeiro, com gols de Olivier Giroud, Paul Pogba, Dimitri Payet e Antoine Griezmann. Na segunda etapa Kolbeinn Sigthórsson e Birkir Bjarnason chegaram a diminuir, mas Giroud sacramentou a goleada por 5 a 2. Além de chuva de gols, duelo estabeleceu alguns recordes.

Se os islandeses não conseguiram seguir vivos na competição, ao menos eles entraram nos livros dos recordes. A Islândia se tornou a primeira seleção a manter o mesmo time titular em suas primeiras cinco partidas de uma Eurocopa. O entrosamento, no entanto, não ajudou muito no Stade de France.

A França atropelou a Islândia logo nos minutos iniciais da partida. Aos 12 minutos, Blaise Matuidi lançou nas costas da defesa islandesa e Olivier Giroud entrou cara a cara com Hannes Halldórsson. O atacante finalizou entre as pernas do goleiro islandês para abrir o marcador. Com a camisa da Équipe Tricolore, Giroud está em ótima forma: nas últimas nove partidas como titular pela seleção francesa, o atacante do Arsenal marcou em todas.

A França não havia marcado um gol num primeiro tempo nesta Eurocopa. E viria mais. Aos 20 minutos, Antoine Griezmann cobrou escanteio e Paul Pogba subiu mais que a zaga e ampliou para os franceses. Pela primeira vez na história, a seleção francesa anotou dois gols numa Eurocopa com apenas 20 minutos de bola rolando.

Em seguida, a França inteligentemente não pressionou, deixando os islandeses tentar criar jogadas ofensivas, para aproveitar uma desorganização defensiva do adversário. A Islândia encontrou muitas dificuldades em transpor o compacto meio-campo francês composto por Matuidi, Pogba e Moussa Sissoko. As melhores aproximações ocorreram em bolas paradas, principalmente por meio de cobranças longas de lateral.

Mas o duelo virou goleada antes do fim do primeiro tempo. Aos 42 minutos, Payet finalizou de fora da área no canto esquerdo de Halldórsson. Dois minutos depois, Griezmann recebeu passe açucarado de Giroud e encobriu o goleiro islandês: 4 a 0. Como será que estavam se sentindo os torcedores ingleses neste momento?

Pela primeira vez uma seleção marca quatro gols num primeiro tempo de Eurocopa. Foi também o pior resultado parcial da Islândia ao intervalo desde 2004, quando também sofreu quatro gols nos primeiros 45 minutos.

No segundo tempo, a Islândia seguiu aguerrida e buscou corresponder ao apoio de sua torcida. Aos dez minutos, Gylfi Sigurdsson cruzou e o herói da vitória contra a Inglaterra, Kolbeinn Sigthórsson, diminuiu de carrinho. Ele se tornou o primeiro atleta a marcar um gol contra o anfitrião de uma Eurocopa sendo jogador de um clube do país anfitrião: Sigthórsson atua pelo Nantes.

Mas a França restituiu a vantagem de quatro gols três minutos depois. Payet cobrou falta na grande área e Giroud anotou seu segundo na partida. Outro recorde francês: nunca uma seleção havia marcado cinco gols de cabeça numa Eurocopa.

A Islândia ainda diminuiu com Birkir Bjarnason, o autor do primeiro gol da história da Islândia num grande torneio, anotado contra Portugal na estreia desta Eurocopa. Mas a grande celebração da torcida islandesa ocorreu quando Eidur Gudjohnsen entrou em campo.

Aos 37 anos, o atacante recebeu esta singela homenagem dos treinadores da seleção islandesa. Notoriamente o maior jogador de futebol da história da Islândia, Gudjohnsen é o único islandês que conquistou a Liga dos Campeões (com o Barcelona, em 2009) e foi bicampeão inglês com o Chelsea (2005 e 2006).

No fim da partida, aplausos da torcida francesa para a contundente classificação da seleção francesa e aplausos da torcida islandesa pela mágica campanha dos islandeses, que realizaram novamente a tradicional coreografia com os braços acima da cabeça gritando "Huh!".

A partida com maior número de gols nesta Eurocopa foi amplamente dominada pela França, que agora enfrenta seu primeiro real desafio no torneio. Na semifinal, uma completa Équipe Tricolore encarará uma desfalcada Alemanha, em Marselha, na quinta-feira.

Ficha técnica

França 5 x 2 Islândia

Local: Stade de France, em Saint-Denis.

Arbitragem: Björn Kuipers (Holanda), auxiliado por seus compatriotas Sander van Roekel e Erwin Zeinstra.

Gols: Olivier Giroud (12'/1T e 13'/2T), Paul Pogba (19'/1T), Dimitri Payet (42'/1T), Antoine Griezmann (44'/1T), Kolbeinn Sigthórsson (10'/2T) e Birkir Bjarnason (38'/2T)

Cartões amarelos: Birkir Bjarnason (13'/2T), Samuel Umtiti (29'/2T)

França: Hugo Lloris; Bacary Sagna, Samuel Umtiti, Laurent Koscielny (Eliaquim Mangala 27'/2T) e Patrice Evra; Blaise Matuidi e Paul Pogba; Moussa Sissoko, Antoine Griezmann e Dimitri Payet (Kingsley Coman; Olivier Giroud (André-Pierre Gignac 15'/2T). Técnico: Didier Deschamps.

Islândia: Hannes Halldórsson; Birkir Saevarsson, Kári Árnason (Sverrir Ingi Ingason 1'/2T), Ragnar Sigurdsson e Ari Skúlason; Aron Gunnarsson, Gylfi Sigurdsson, Johann Gudmundsson e Birkir Bjarnason; Kolbeinn Sigthórsson (Eidur Gudjohnsen 38'/2T) e Jón Dadi Bödvarsson (Alfred Finnbogason 1'/2T). Técnicos: Lars Lagerbäck e Heimir Hallgrímsson.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos