Com Cristiano Ronaldo decisivo, Portugal elimina País de Gales

Philip Verminnen

Após cinco empates, seleção portuguesa alcança primeira vitória na Eurocopa 2016 e chega a sua segunda final na história do torneio. No duelo dos craques galácticos, português levou a melhor e estabeleceu novos recordes.

No duelo entre as estrelas galácticas do Real Madrid, o português Cristiano Ronaldo levou a melhor. Com participação decisiva do craque luso, Portugal venceu o País de Gales por 2 a 0, nesta quarta-feira (06/07), em Lyon. Os gols foram marcados por Nani e pelo próprio Cristiano Ronaldo, que estabeleceu vários recordes e ajudou a quebrar um tabu histórico: a seleção portuguesa chega a sua primeira final de um grande torneio disputado fora de Portugal.

As atenções, obviamente, estavam voltadas às duas estrelas do Real Madrid, Cristiano Ronaldo e Gareth Bale - tidas como as duas contratações mais caras da história do futebol (há dúvidas sobre quanto, de fato, foi pago pelo Barcelona por Neymar). Enquanto Bale tem demonstrado nesta Eurocopa ser um jogador mais focado no coletivo, sem vaidades, Ronaldo polariza, às vezes sem esconder sua insatisfação com ações de colegas em campo.

E o craque português foi o centro das atenções em Lyon antes mesmo de a bola rolar. Um garoto, parte da programação pré-jogo da Uefa, entrou na foto oficial da seleção portuguesa, e outro tirou um selfie com Ronaldo, que simpaticamente riu da situação.

Esportivamente, Ronaldo estabeleceu a marca de primeiro jogador a atuar em três semifinais de Eurocopa (2004, 2012 e 2016) - marca que Bastian Schweinsteiger igualará contra a França, nesta quinta-feira. O português também somou sua 20ª partida em Eurocopas - recorde que não será quebrado tão cedo.

Primeiro tempo (muito) sonolento

No jogo, Portugal começou pressionando, aproveitando-se de algumas desatenções defensivas do País de Gales. Logo num dos primeiro ataques, Ronaldo tentou aproveitar cruzamento da direita, disputou a bola com James Collins e caiu na área. O lance foi, no mínimo, duvidoso. Os galeses não davam conta da marcação no meio-campo. Joe Allen recebeu cartão amarelo por evitar um contra-ataque.

O treinador galês Chris Coleman então interveio e corrigiu o posicionamento defensivo de sua seleção, que igualou a partida. Usando (e abusando) da velocidade de Bale, o País de Gales criou alguns avanços pelas extremidades, mas os cruzamentos não preocuparam muito o goleiro Rui Patrício.

Antes da partida, ambas as seleções refutaram as manchetes dos jornais, que simplificaram o jogo a um duelo entre Ronaldo e Bale. Mas, em campo, praticamente todas as ações ofensivas passavam pelos pés dos dois craques. Com esta partida, a vantagem é clara para o português no confronto direto: Ronaldo superou Bale em todos os seis encontros: são cinco vitórias no tempo normal e outra numa decisão por pênaltis. Em número de gols, goleada do português: 5 a 0.

Sem Aaron Ramsey, suspenso, o País de Gales não tinha em campo o seu jogador mais criativo - carência também sentida pela seleção portuguesa durante toda a competição. O resultado não poderia ter sido outro: uma partida monótona, sem emoções ou lances de perigo e que mereceu tímidas vaias ao intervalo. Nos primeiros 45 minutos, os torcedores em Lyon presenciaram apenas um chute a gol - de Bale.

Ronaldo decide partida com gol e assistência

Portugal tratou de resolver a partida nos lances iniciais do segundo tempo. O primeiro gol saiu de uma bola parada. Logo aos quatro minutos, João Mário cobrou curto o escanteio para Raphael Guerreiro. O cruzamento encontrou Cristiano Ronaldo, que praticamente pairou no ar para cabecear a bola para a rede galesa.

Mais marcas para o português: Ronaldo igualou o recorde de gols de Michel Platini em Eurocopas (9 - dois em 2004, um em 2008, três em 2012 e três em 2016). O francês, no entanto, precisou de apenas cinco jogos. Ronaldo também se tornou o primeiro jogador a marcar três ou mais gols em duas Eurocopas diferentes. Além disso, o português é o primeiro jogador a marcar em sete partidas diferentes e o primeiro a marcar cinco gols de cabeça em Eurocopas. Cristiano Ronaldo não se cansa de somar recordes.

Quatro minutos depois, Cristiano Ronaldo foi decisivo mais uma vez. Partiu dele o passe cruzado, que foi desviado por Nani, sem chances para o goleiro Wayne Hennessey. Com 2 a 0, o caminho português para a final da Eurocopa 2016, em Saint-Denis, no domingo, estava cimentado.

Antes deste duelo em Lyon, Portugal havia disputado sete semifinais, somando Copas do Mundo, Eurocopas e Jogos Olímpicos. A única vez que havia conseguido chegar a uma final foi na Eurocopa de 2004, como anfitrião. E agora, em 2016.

Ficha técnica

Portugal 2 x 0 País de Gales

Local: Stade de Lyon, em Lyon.

Arbitragem: Jonas Eriksson (Suécia), auxiliado por seus compatriotas Mathias Klasenius e Daniel Wärnmark.

Gols: Cristiano Ronaldo (4'/1T), Nani (8'/1T)

Cartões amarelos: Joe Allen (7'/1T), James Chester (17'/2T), Bruno Alves (25'/2T), Cristiano Ronaldo (26'/2T), Gareth Bale (43'/2T)

Portugal: Rui Patrício; Cédric, Bruno Alves, José Fonte e Raphael Guerreiro; Danilo, João Mário, Adrien Silva (João Moutinho 34/'2T) e Renato Sanches (André Gomes 28'/2T); Nani (Ricardo Quaresma 41'/2T) e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos.

País de Gales: Wayne Hennessey; Chris Gunter, James Chester, James Collins (Jonathan Williams 21'/2T), Ashley Williams e Neil Taylor; Joe Ledley (Sam Vokes 13'/2T), Joe Allen e Andy King; Gareth Bale e Hal Robson-Kanu (Simon Church 18'/2T). Técnico: Chris Coleman.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos