Griezmann brilha e coloca a França na final

Philip Verminnen

Seleção francesa consegue primeira vitória em jogo oficial contra alemães desde 1958 e faz final com Portugal. Com eliminação, Alemanha dá adeus ao sonho de conquistar a dobradinha Copa do Mundo e Eurocopa.

Antoine Griezmann brilhou e colocou a França na final da Eurocopa 2016. O atacante marcou os dois gols da vitória por 2 a 0 contra a Alemanha, nesta quinta-feira (07/07), em Marselha, e assumiu a artilharia isolada do torneio. Griezmann e Cristiano Ronaldo farão agora, no domingo, a reedição da final da Liga dos Campeões. Novo pênalti infantil da Alemanha, abriu o caminho para a classificação francesa.

A melhor partida desta Eurocopa, tranquilamente. Sem vencer a Alemanha num jogo oficial desde a Copa do Mundo de 1958, a França começou pressionando e tentou levar o ímpeto da força do hino La Marseillaise, entoado por um Stade Velódrome lotado, nos minutos iniciais da partida.

Aos sete minutos, Antoine Griezmann invadiu a grande área e obrigou Manuel Neuer a uma grande defesa. O domínio inicial francês, porém, foi equilibrado rapidamente pelo meio-campo alemão, que contou com a surpreendente escalação de Emre Can. O volante do Liverpool obrigou Hugo Lloris a operar um pequeno milagre, aos 14 minutos.

A seleção alemã então tomou as rédeas da partida e encurralou os anfitriões. Samuel Umtiti evitou que Thomas Müller marcasse seu primeiro gol em Eurocopas, poucos minutos depois. Aos 26 minutos, Bastian Schweinsteiger força outra defesa plástica de Lloris.

Os únicos momentos de alívio para a defesa francesa foram cobranças de falta, cobradas sem perigo por Dimitri Payet e Paul Pogba, e um contra-ataque puxado por Olivier Giroud, aos 42, minutos, que foi egoísta e não tocou para Griezmann. Benedikt Höwedes salvou a Alemanha.

Se era a Alemanha a equipe merecedora abrir o marcador, foi a França que chegou lá. Após escanteio cobrado, Schweinsteiger repetiu o gesto de Boateng contra a Itália, subiu com o braço e praticamente bloqueou a bola da cabeça de Patrice Evra. Pênalti, que Griezmann cobrou com maestria. A Alemanha superou a própria França como seleção que mais teve pênaltis marcados contra em Eurocopas: são onze agora. Na comemoração, Griezmann lançou um "tá tranquilo, tá favorável", um funk brasileiro.

Merecida a vitória parcial da França? Não! Não, por tudo que a Alemanha criou nos primeiro 45 minutos. Os campeões mundiais foram a mais nova vítima do ditado popular: "quem não faz, toma". E se por um lado, a França enfrenta um longo tabu negativo contra a Alemanha, há outro que deve ter trazido ânimo na conversa no vestiário. A França venceu todos os jogos contra a Alemanha, enquanto essa reinava como atual campeão mundial: 3x1, em 1954; 6x3, em 1958; 1x0, em 1977; 2x0, em 2015.

Na segunda etapa, a Alemanha seguiu com maior posse de bola, mas não conseguia mais penetrar com tanto perigo na última linha defensiva da França. A situação ficou mais complicada quando Jérôme Boateng, que esteve lutando contra dores na panturrilha nos últimos dias, sofre uma contusão no tornozelo e teve de ser substituído. A Alemanha enfrentava o dilema de pressionar e arriscar sem descuidar da defesa, composta agora por dois reservas no miolo de zaga.

Mas em bobeada do jovem Joshua Kimmich, a França sacramentou a classificação. Pogba aproveitou o vacilo e levantou na grande área, onde Girdou perdeu a disputa aérea com Neuer. Mas a bola sobrou limpa para Griezmann, de bico, anotar seu sexto gol nesta Eurocopa e assumir a liderança isolada da artilharia.

O francês têm tido uma temporada fenomenal. Das 10 partidas eliminatórias que atuou, somando Eurocopa e Liga dos Campeões pelo Atlético de Madri, Griezmann marcou em oito. Definitivamente merecedor de muitos votos na eleição de melhor jogador do mundo da Fifa, em janeiro.

Com a vitória, a França melhorou um pouco a estatística negativa das seleções anfitriãs em Eurocopas. Os comandados de Didier Deschamps é apenas a quinta de 11 seleções que jogaram uma semifinal de Eurocopa e conseguiram se classificar para a decisão. A última foi exatamente o adversário desta final: Portugal, em 2004.

A final, no Stade de France, no domingo, será o reencontro entre Griezmann e Cristiano Ronaldo - uma espécie de reedição da final da Liga dos Campeões, quando o português levou a melhor na decisão por pênaltis.

Ficha técnica

Alemanha 0 x 2 França

Local: Stade Vélodrome, em Marselha.

Arbitragem: Nicola Rizzoli (Itália), auxiliado por seus compatriotas Elenito Di Liberatore e Mauro Tonolini.

Gols: Antoine Griezmann (pen. 46'/1T e 27'/2T)

Cartões amarelos: Emre Can (36'/1T), Patrice Evra (43'/2T), Bastian Schweinsteiger (45'/2T), Mesut Özil (45'/1T), Julian Draxler (5'/2T), N'Golo Kanté (30'/2T)

Alemanha: Manuel Neuer; Joshua Kimmich, Jérôme Boateng (Shkodran Mustafi 15'/2T), Benedikt Höwedes e Jonas Hector; Emre Can (Mario Götze 22'/2T) e Bastian Schweinsteiger (Leroy Sané 34'/2T); Mesut Özil, Toni Kroos e Julian Draxler; Thomas Müller. Técnico: Joachim Löw.

França: Hugo Lloris; Bacary Sagna, Laurent Koscielny, Samuel Umtiti e Patrice Evra; Blaise Matuidi e Paul Pogba; Moussa Sissoko, Antoine Griezmann (Yohan Cabaye 46'/2T) e Dimitri Payet (N'Golo Payet 26'/2T); Olivier Giroud (André-Pierre Gignac 33'/2T). Técnico: Didier Deschamps.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos