Testemunhas relatam momentos de pânico e horror em Nice

Pessoas que participavam de festividade no sul da França narram cenas de desespero e confusão após caminhão avançar sobre multidão, matando dezenas de espectadores. "Havia corpos por todo o lado", diz testemunha.

Milhares de pessoas acompanhavam a queima de fogos de artifício em comemoração ao Dia da Bastilha em Nice, no sul da França, quando um caminhão avançou sobre a multidão e matou dezenas de pessoas nesta quinta-feira (14/07). Testemunhas relatam momentos de caos e terror.

O jornalista Damien Allemand, do Nice Matin, reportou que a queima de fogos estava no fim e que os espectadores estavam deixando o local quando ouviram o barulho do caminhão e gritos. "Uma fração de segundos depois, um enorme caminhão branco avançou a uma grande velocidade, tentando atingir o maior número possível de pessoas", afirmou. "Vi corpos voando como se fossem pinos de boliche."

O repórter da agência de notícias AFP Robert Holloway, que participava da celebração na famosa avenida à beira-mar Promenade des Anglais, também contou ter ouvido muitos gritos e visto corpos e destroços serem lançados no ar enquanto o veículo avançava. "Foi o caos absoluto", disse ele.

"Um caminhão daquele tamanho entrar pela 'promenade' e seguir mais ou menos em linha reta parece-me um ato deliberado", afirmou o jornalista, acrescentando que teve apenas "alguns segundos para sair da frente" quando viu o veículo surgir a 100 metros de distância dele.

Wassim Bouhlel, um morador de Nice que conversou com a agência de notícias AP, disse ter visto o caminhão avançar sobre a multidão. "Havia uma carnificina na avenida. Corpos por todo lado."

Horas após o ataque - que está sendo investigado como um possível ato terrorista -, autoridades locais afirmaram que o caminhão avançou sobre a população por cerca de 2 quilômetros e que 77 pessoas morreram e 50 ficaram feridas, sendo que 15 delas estão em estado de "urgência absoluta".

Roy Calley, que vive a cerca de 200 metros do local, classificou o ataque como um "pandemônio". "As pessoas estavam se divertindo. De repente, ouvi um estrondo gigantesco, como uma explosão ou uma colisão. Muitas pessoas gritavam e acredito que ouvi tiros a seguir", disse ele à emissora BBC.

Outras testemunhas também relataram ter ouvido tiros. O deputado francês Éric Ciotti afirmou que os policiais mataram o motorista do caminhão "aparentemente após uma troca de tiros".

"Muita confusão"

A australiana Emily Watkins contou à emissora Australian Broadcasting Corporation que estava a 50 metros do local do ataque e que "havia muita confusão". "As pessoas tropeçavam e tentavam entrar nos hotéis, restaurantes, estacionamentos ou em qualquer lado onde pudessem fugir da rua", disse.

"A cada estrondo que ouvíamos atrás de nós, as pessoas começavam a correr mais depressa. Foi uma cena muito caótica", acrescentou David Cody, também australiano. A americana Kayla Repan, por sua vez, disse que "a cidade inteira estava correndo". "Eu estava extremamente assustada. Foi um caos."

EK/afp/ap/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos