Partido Republicano confirma candidatura de Trump

Donald Trump reúne os 1.237 votos necessários para indicação e é oficializado candidato republicano à presidência dos EUA durante convenção nacional do partido. "Trabalharei duro e nunca decepcionarei vocês", declara.

O magnata Donald Trump foi nomeado oficialmente candidato do Partido Republicano à Casa Branca nesta terça-feira (19/07), durante a convenção nacional da legenda que ocorre em Cleveland.

"É uma honra muito grande ser o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos. Vou trabalhar duro e nunca decepcionarei vocês. América em primeiro lugar!", disse Trump no Twitter.

O empresário deve aceitar formalmente a nomeação em discurso na próxima quinta-feira, durante o encerramento da convenção.

A votação que decidiu pela nomeação teve início por volta das 17h (horário local) e confirmou o resultado cerca de uma hora mais tarde.

Trump, que não esteve presente, garantiu os 1.237 votos dos delegados do partido - o mínimo necessário para oficializar a indicação pela legenda.

Os votos foram anunciados por região, com um representante de cada estado declarando seu apoio em ordem alfabética, de acordo com as normas da convenção.

Nova York, terra natal de Trump, passou a vez para que pudesse ser o estado a pronunciar os números que confirmaram a candidatura do empresário. Os votos de Nova York foram lidos pelo filho mais velho de Trump, Donald Trump Jr.

"É uma honra incrível ter feito parte dessa jornada", disse o filho, um dos delegados da votação, na Quicken Loans Arena. "Esta não é uma campanha, é um movimento. Parabéns, pai, nós te amamos."

"Ele é um guerreiro e um vencedor", disse o senador Jeff Sessions, do Alabama, um dos apoiadores de Trump dentro do partido. "Ele ama seu país e está determinado a vê-lo sendo vencedor mais uma vez."

Caos no início da convenção

A votação desta terça-feira ocorreu sem maiores protestos, diferente do que foi visto no primeiro dia da convenção nacional republicana, na véspera.

Os republicanos da frente Never Trump (Trump jamais), contrários à candidatura do magnata, clamavam para que os 2.472 delegados participantes da convenção pudessem votar livremente a favor ou contra a nomeação de Trump, independente dos resultados das primárias.

O objetivo dos opositores, liderados pelo senador Mike Lee e pelo ex-procurador-geral da Virginia Ken Cuccinelli, era que cada estado decidisse separadamente dar ou não liberdade de voto a seus membros.

O palanque do evento foi tomado pelo caos quando Enid Mickelsen, presidente do comitê de regras, deu por aprovadas as normas que regem a convenção, em que foi decidido que os delegados votem no mesmo sentido que a maioria dos eleitores das primárias realizadas em seus respectivos estados.

Alguns delegados presentes jogaram no chão suas credenciais de participantes após ouvirem a decisão, que acaba por favorecer Trump. "Isto não tem precedentes", afirmou Lee, um dos principais aliados do senador Ted Cruz, segundo pré-candidato mais votado nas primárias republicanas.

Discurso de Melania Trump

Ainda na segunda-feira, o discurso de Melania Trump, esposa do então pré-candidato republicano, foi a principal atração da primeira jornada da convenção do partido - só que não pelos motivos esperados pelos organizadores.

Melania, que teceu fartos elogios ao marido, foi acusada de plagiar o discurso da primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, na convenção do Partido Democrata, em 2008.

No trecho que chamou a atenção pelas semelhanças, Melania, uma ex-modelo eslovena naturalizada americana, falou aos delegados republicanos sobre a influência dos pais na vida dela e sobre a transmissão de valores para os filhos (assista ao vídeo acima).

Primeiro debate presidencial

Com a confirmação de sua candidatura, Trump deve concorrer com a democrata Hillary Clinton - que também espera ser confirmada na Filadélfia na próxima semana - nas eleições presidenciais de novembro nos EUA.

Nova York, local de residência de ambos, foi a cidade escolhida para a realização do primeiro debate entre os dois candidatos, segundo informou nesta terça-feira a comissão de debates presidenciais.

Os dois se enfrentarão no dia 26 de setembro na Universidade de Hofstra, em Long Island. Deve ocorrer pelo menos outros dois debates, na Universidade de Washington, em Saint Louis, em 9 de outubro, e na Universidade de Nevada, em Las Vegas, em 19 de outubro.

Por sua parte, os candidatos à vice-presidência ficarão frente a frente na Universidade de Longwood, na Virgínia, no dia 4 de outubro.

EK/afp/ap/dpa/efe/dw

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos