Três mil migrantes já morreram no Mediterrâneo em 2016

Organização Internacional para as Migrações afirma que marca ainda não havia sido registrada num período tão curto. Maioria das mortes aconteceu na rota entre Líbia e Itália.

Quase 3 mil migrantes morreram no Mar Mediterrâneo desde o início de 2016, o número mais elevado de mortes registrado num período tão curto, afirmou nesta sexta-feira (22/07) a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

A organização afirmou que 2.977 migrantes morreram tentando atravessar o mar em 2016, e deve haver outros cerca de 20 cadáveres em botes que tentam atravessar o mar rumo a Itália nesta sexta-feira.

Cerca de 90% das mortes aconteceram na zona central do Mar Mediterrâneo, entre a Líbia e a Itália. A rota entre a Turquia e a Grécia está praticamente encerrada, disse o porta-voz da OIM em Genebra, Joel Millmann.

"Este é o terceiro ano consecutivo em que as mortes ultrapassam as 3 mil, mas nunca esse número havia sido registrado antes do final de julho, o que é muito alarmante", disse Millman. Em 2015, o número foi alcançado em outubro, e em 2014, em setembro.

Em quase todos os casos, os migrantes eram oriundos de países da África subsaariana. A crise dos refugiados na Europa começou há quatro anos.

AS/efe/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos