Pão em Moçambique não ficou mais caro mas ficou mais leve

Romeu da Silva (Maputo)

O preço da farinha de trigo aumentou. Para impedir o encarecimento do pão, o Governo reintroduziu subsídios. Mas alguns moçambicanos acusam os panificadores de estarem a diminuir o peso do pão para compensar os custos.

O preço não subiu, mas o pão está mais "leve". "Temos comprado o pão por aqui. Mas temos notado que há uma ligeira diferença em termos do peso", queixa-se Nelo Taju, entre outros cidadãos ouvidos pela DW África.

Raul Alexandre alega que, antigamente, um pão chegava para duas pessoas e agora só dá para uma. "Não sei se enchem com mais [fermento] Royal ou não sei qual o produto que usam para o pão dilatar. Você pode ver um pão dilatado, mas quando se pega, ele parece que encolhe facilmente. Quer dizer que alguma coisa não está be", observa o consumidor.

A farinha de trigo está mais cara. Por isso, os panificadores avisaram que iam subir o preço do pão. O Governo antecipou-se e decidiu reintroduzir subsídios para travar o aumento. Assim, os panificadores saudaram a decisão e mantiveram os preços.

Panificadores negam alterações

Os panificadores negam as acusações dos populares de que o pão está a ser vendido com menos peso. "Ainda estamos a aplicar o mesmo peso. Ainda não reduzimos e mantemos também o mesmo preço", garante Vicente Macie, gerente de uma padaria em Maputo.

Atanásio Vicente, outro gerente de uma padaria, ficou bastante satisfeito ao ouvir a notícia de que o Governo iria voltar a atribuir os subsídios. O que representa uma ajuda porque os preços das matérias-primas, "da farinha e da vitamina, subiram", refere.

O gerente conta que antes comprava "vitamina" que custava 1.600 meticais (20 euros), mas agora já está a 2.100 meticais (30 euros). "Cada dia que passa tudo sobe. É uma situação que o país vive. Não são só os panificadores", lamenta Atanásio Vicente.

O gerente de padaria defende que se há preço que não deve subir é o preço do pão. "Acho que o Governo tem razão porque me defende a mim também como povo. Se aumenta o preço do pão, o que vamos comer?", indaga.

Esta não é a primeira vez que o Executivo moçambicano subsidia o pão. Entre 2010 e 2015, o Governo terá desembolsado mais de 1,7 mil milhões de meticais (mais de 35 milhões de euros) de subsídio ao preço de pão. A medida de apoio foi suspensa em outubro de 2015 por ser considerada insustentável.

Em 2010, a subida do preço do pão e de outros produtos de primeira necessidade provocou protestos populares violentos na capital moçambicana, Maputo, que resultaram, na morte de várias pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos