Venezuela detém jornalistas

Dois jornalistas que trabalham para veículos de comunicação estrangeiros ficam quatro horas sob custódia de militares, acusados de gravar em região proibida. Sindicato de trabalhadores da imprensa condena ação.

Dois jornalistas que trabalham para veículos de comunicação estrangeiros foram detidos por quatro horas pelo Exército venezuelano nesta quinta-feira (18/08) em Caracas.

O Sindicato Nacional de Trabalhadores da Imprensa da Venezuela (SNTP) disse que os jornalistas foram acusados de estarem gravando em "corredor presidencial" e, por isso, foram levados para um complexo militar da capital.

De acordo com secretário-geral do sindicato, Marco Ruiz, os dois foram libertados depois de passarem quatro horas sob custódia. "Foi um ato de intimidação", disse.

Os dois jornalistas detidos, Andreina Flores, correspondentes da Radio France Internationale e da rádio colombiana RCN e Jorge Perez Valery da estação Red Mas, também da Colômbia, denunciaram a prisão pelo Twitter.

A Venezuela é alvo de críticas frequentes por violação da liberdade de imprensa. O país ocupa o 137º lugar no índice mundial da liberdade de imprensa da organização Repórteres Sem Fronteiras. A lista possuiu 180 países.

CN/lusa/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos