Nadador americano pede desculpas por confusão no Rio

Ryan Lochte diz que deveria ter sido "mais cuidadoso" ao relatar incidente que ele havia denunciado se tratar de um assalto, mas não admite que inventou a história. Aprendi "lições valiosas", afirma.

O nadador americano Ryan Lochte pediu desculpas nesta sexta-feira (19/08) por seu comportamento nos Jogos Olímpicos após ter alegado ter sido assaltado junto com três colegas no Rio de Janeiro. Um vídeo registrado pelas câmeras de segurança de um posto de gasolina revelou que Lochte e os outros atletas inventaram a história para acobertar um ato de vandalismo no local.

"Eu deveria ter sido mais responsável e peço desculpas por isso aos meus colegas de equipe, a meus fãs, aos demais competidores, a meus patrocinadores e aos anfitriões desse grande evento", disse o medalhista em nota publicada no Instagram e no Twitter. Ele afirmou ainda que deveria ter sido "mais cuidadoso e imparcial" ao explicar o que aconteceu.

Ao voltar de táxi de uma festa na manhã do último domingo, Lochte e os colegas James Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger pararam num posto de gasolina para usar o banheiro, cuja porta eles quebraram, assim como uma saboneteira e um espelho. Funcionários do posto relataram ainda que os atletas urinaram pelo local e arrancaram um cartaz da parede.

O chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Fernando Veloso, confirmou que um funcionário apontou uma arma para o grupo para evitar que eles fugissem, mas disse que nada indica que houve excesso.

"É traumático sair à noite com seus amigos num país estrangeiro - com a barreira do idioma - e ter um estranho apontando uma arma para você e exigindo dinheiro para que você possa ir embora", escreveu Lochte. Apesar disso, ele disse aceitar sua responsabilidade no ocorrido e que aprendeu "lições valiosas".

A polícia começou a investigar a veracidade das declarações em relação ao suposto assalto após as versões dos quatro atletas sobre o incidente apresentarem contradições.

Paes manifesta desprezo

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou também nesta sexta-feira que sente desprezo pelos nadadores americanos envolvidos na confusão.

"Meu único sentimento por eles é de pena e desprezo. Que pena que tenham algumas falhas de caráter, e acho que é problema deles e do comitê americano resolver o que fazer", disse, ao lado governadora de Tóquio, Yuriko Koike, em entrevista coletiva sobre os Jogos de 2020.

Paes disse que é preciso agradecer aos americanos e aceitar as desculpas do comitê olímpico. Segundo ele, os nadadores não representam todos os atletas dos Estados Unidos.

Nesta sexta-feira, Feigen concordou em doar 11 mil dólares a uma instituição de caridade brasileira como punição pela mentira.

LPF/rtr/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos