Maicon Siqueira é bronze no taekwondo

Fora das previsões de medalhas, lutador mineiro vem da repescagem e iguala feito de Natália Falavigna em Pequim 2008. Apenas 51º no ranking mundial, ele chegou a dividir o esporte com os empregos de pedreiro e garçom.

O mineiro Maicon Siqueira conquistou a segunda medalha do taekwondo brasileiro em Jogos Olímpicos. Neste sábado (20/08), ele venceu o britânico Mahama Cho por 5 a 4 e faturou a medalha de bronze na categoria acima de 80kg.

O ponto necessário para a vitória saiu a cinco segundos do fim do combate. Então, começou a festa na Arena Carioca 3, com direito ao som do Tema da vitória, música que acompanhou a carreira de Ayrton Senna.

O feito de Maicon entrou na lista das "medalhas inesperadas", já que seu nome não fazia parte de nenhum prognóstico de medalhas antes dos Jogos. O mineiro de 23 anos é mais um daqueles exemplos de superação.

Aos 18 anos, ele tinha dois empregos para ajudar no sustento de sua família (pedreiro e garçom) e apenas um dia por semana para treinar. Bastou conseguir dedicar mais tempo ao taekwondo que o resultado veio. Este é o segundo bronze para o Brasil na modalidade, igualando o feito de Natália Falavigna, que levou o bronze em Pequim 2008.

Maicon, 51º colocado no ranking mundial da modalidade, surpreendeu favoritos em sua campanha, como o próprio Cho, número 12 da classificação. "É um sonho. Só estando aqui dentro para entender. Por mais que usasse as palavras mais bonitas, ainda não conseguiria explicar", disse Maicon após a luta pelo bronze.

Caminho ao bronze

Maicon inicou a disputa na categoria acima de 80kg com uma vitória emocionante por 9 a 7 contra o americano Stephen Lambdin, numa virada incrível - oito dos nove pontos de Maicon foram obtidos no terceiro round.

Nas quartas de final, Maicon perdeu para o gigante nigerino de 2,07 metros de altura Abdoulrazak Issoufou Alfaga por 6 a 1. Assim como no judô, o taekwondo distribui duas medalhas de bronze. Ainda havia uma chance para Maicon, por meio da repescagem.

Mas para isso, Alfaga, representante do país mais pobre do mundo, precisava vencer o atual líder do ranking mundial, o uzbeque Dmitriy Shokin. E o atleta do Níger atropelou Shokin, causando a grande zebra do dia. Maicon seguia vivo na competição. Na repescagem, o mineiro derrotou o francês M'bar N'Diaye por 5 a 2. A vitória levou Maicon à luta pelo bronze.

Com a medalha de Maicon Siqueira, o Brasil tem agora 18 medalhas na Rio 2016. Até agora são seis de ouro (recorde brasileiro numa edição de Jogos Olímpicos), seis pratas e seis bronzes. Sem mencionar que o vôlei masculino já tem a 19ª garantida - resta saber se ela será de ouro ou de prata. A decisão contra a Itália é neste domingo.

PV/efe/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos