Atentado mata mais de 50 em casamento na Turquia

Ataque atribuído ao "Estado Islâmico" é o mais mortal a atingir o país em 2016 e, segundo Erdogan, foi realizado por um adolescente de entre 12 e 14 anos. Vítimas são da comunidade curda.

A Turquia foi alvo na noite deste sábado (20/08) do mais mortal atentado do ano em seu território, quando um adolescente - de entre 12 e 14 anos, segundo o presidente Recep Tayyip Erdogan - se explodiu na saída de um casamento curdo, deixando ao menos 51 mortos e dezenas de feridos.

O atentado, atribuído à organização terrorista "Estado Islâmico", aconteceu em Ganziantep, cidade de cerca de 1,5 milhão de habitantes próxima à fronteira com a Síria. Erdogan disse que há cerca de 70 feridos, 17 deles em estado grave, e que não se sabe se a criança detonou a bomba sozinha ou se o artefato foi acionado remotamente.

"Estava claro que o Daesh estava tentando ganhar espaço em Gaziantep", afirmou Erdogan, usando a sigla em árabe para se referir ao "Estado Islâmico". "Independente de onde venha o terror, não muda nada para nós. Como nação, vamos usar nossa força e união para combater o terrorismo."

Em toda a região do sudeste turco, que abriga uma maioria de população curda, existe há anos uma forte tensão entre os grupos de esquerda próximos ao Partido Democrático do Povo (HDP) e aos movimentos radicais islâmicos ligados ao "Estado Islâmico".

O HDP, partido esquerdista pró-curdo, disse em comunicado que os noivos que se casavam eram membros de sua legenda.

Em julho de 2015, as vítimas do primeiro atentado suicida do "Estado Islâmico" na Turquia eram ativistas da esquerda pró-curda reunidos em Suruç, na província de Sanliurfa, vizinha a Gaziantep.

O atentado ocorre num momento de especial tensão na Turquia: há apenas algumas semanas, Erdogan e seu governo sobreviveram a uma tentativa de golpe - e iniciaram uma campanha de retaliação contra opositores no país.

O "Estado Islâmico" foi responsabilizado por outros ataques na Turquia, o mais mortal em outubro passado, durante uma reunião de ativistas pró-curdos e trabalhistas em Ancara. Na ocasião, quando homens-bomba mataram mais de 100 pessoas.

RPR/rtr/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos