Opinião: Nós não vamos conseguir!

Alexander Kudascheff

Há um ano, Merkel disse a famosa frase, abrindo portas para centenas de milhares de refugiados. O bordão, porém, é otimista demais, e a Alemanha não vai conseguir, opina o editor-chefe da DW, Alexander Kudascheff.

Nós não vamos conseguir, porque não sabemos o que queremos conseguir. Será que desejamos somente cuidar das pessoas ou rapidamente integrá-las?

Porque nós não sabemos quando poderemos dizer: nós conseguimos. Passados mais de 25 anos da Reunificação, um número demasiadamente grande de alemães ainda diz: nós não estamos realmente unidos.

Porque possuímos somente uma compreensão técnica, mas não cultural, da tarefa - ou seja, deveríamos aprender a aceitar as diferenças. Em vez disso, acreditamos que os refugiados resolvem o nosso problema demográfico.

Nós não vamos conseguir, porque não entendemos que os imigrantes são mais conservadores e mais religiosos que a média de nossa sociedade moderna.

Porque não podemos sequer imaginar quantos esforços são necessários para fazer com que pessoas de outra cultura se sintam em casa.

Porque, embora tenhamos uma bela pátria, raramente passamos a imigrantes o sentimento de que ela também pode ser deles - linguística, cultural e politicamente.

Porque não somos um país de imigração, ou seja, acreditamos ter que lidar muitas vezes de forma emotiva, mas não racional, com as pessoas que vêm até nós.

Porque temos um relacionamento dividido com a própria nação - e não possuímos, portanto, nenhuma imagem positiva de nós mesmos que possamos comunicar. Em outras palavras: não temos uma cultura nacional, porque temos uma pátria esfacelada.

Porque, apesar de toda a conversa, não estamos preparados para nos tornar uma república multicultural, como o nosso presidente descreve algumas vezes de forma tão romantizada.

Porque a integração será uma tarefa secular ao longo de três gerações e fechamos os olhos diante desse desafio.

Porque muitos imigrantes da Síria ou do Afeganistão não vão conseguir se estabelecer, já que não estão preparados para a Alemanha como uma sociedade industrial de alta produtividade - para as exigências e para a velocidade do país.

Porque, segundo nossos padrões, muitos imigrantes não sabem e não podem render o suficiente.

Porque "nós vamos conseguir" é, na melhor das hipóteses, uma frase que diz somente: eu sou otimista!

Porque entre as características alemãs não está o otimismo, mas antes o medo.

E porque um dia vamos dizer que conseguimos - mesmo que nós não tenhamos conseguido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos