Quase um milhão de aposentados trabalham na Alemanha

Kate Brady (ca)

De acordo com o Ministério do Trabalho da Alemanha, 943 mil pensionistas do país ainda estão na ativa. Aspecto financeiro e aumento da idade em que as pessoas se sentem aptas a trabalhar estão entre os motivos.

De camisa passada e sapatos lustrosos, o Sr. Neuer, de 66 anos, é mais um dos 43,5 milhões de trabalhadores da Alemanha em meio à agitação semanal de trabalho. Quando era mais jovem, no entanto, ele havia previsto um início de dia diferente para essa idade.

"Eu pensei que teria feito o suficiente até os 55 para me aposentar", disse à DW. Mas a vida trouxe obstáculos - família, filhos, desemprego -, e Neuer pertence hoje ao crescente grupo de idosos alemães que trabalham depois de se aposentarem.

De acordo com os últimos levantamentos do Ministério do Trabalho da Alemanha, o número de aposentados que ainda trabalha aumentou em 22% desde 2010, para 943 mil. Dez anos atrás, essa cifra era menor que 700 mil.

Um aumento particularmente grande foi relatado entre os pensionistas acima dos 75 anos. No final de 2015, pouco menos de 176 mil idosos dessa faixa etária estavam trabalhando num chamado minijob - emprego a tempo parcial com remuneração de 450 euros (por volta de 1.640 reais) mensais. O número de aposentados nessa situação mais do que dobrou em relação a 2005.

Aposentadoria insuficiente

O político do partido A Esquerda Matthias Birkwald afirmou que o aumento de pensionistas em minijobs mostra que mais e mais aposentados estão tendo que complementar seus benefícios de aposentadoria. Respondendo aos números apresentados pelo Ministério alemão do Trabalho, Birkwald apelou por uma "aposentadoria antecipada flexível e socialmente segura" e por uma "pensão que seja à prova de pobreza e que assegure um padrão de vida."

Os afetados não "estão trabalhando por prazer, mas porque a pensão não é suficiente para viver", explicou o político.

De acordo com o regime do Seguro de Pensões da Alemanha (DRV), "aposentados que ganharam um salário médio durante 45 anos de carreira recebem uma pensão mensal de 1.342 euros, antes de impostos ou deduções."

"Quem economizou para a velhice durante a idade ativa deve estar bem-preparado para a aposentadoria", declarou à DW o porta-voz do DRV Jochen Müller.

"Preparem-se, mas vivam suas vidas"

Em retrospecto, Neuer disse que poderia ter se preparado melhor financeiramente para o futuro. "Não se pensa sempre sobre tais coisas quando se é jovem e, de repente, tem-se 65 anos", afirmou.

Numa palavra de conselho às novas gerações, ele apelou aos jovens alemães que levem a sério as suas economias para a aposentadoria. Preparem-se, mas "vivam suas vidas", disse.

Apesar das tensões financeiras, o dinheiro não é o único motivo para que Neuer continue a trabalhar após a idade de aposentadoria. Fazer parte da equipe de segurança num museu em Bonn também é importante para sua saúde mental e física, explicou. "Além do aspecto financeiro, decidi continuar a trabalhar para me manter em forma e ativo", disse, acrescentando que através do contato diário com novas pessoas e novas exposições no museu, ele sempre está aprendendo algo novo.

Contato humano

A Sra. Winkler, de 69 anos, conta que uma combinação de segurança financeira e bem-estar mental também contribuiu para a sua decisão de continuar trabalhando depois dos 65 anos. "Muitas mulheres na minha idade são avós, mas eu não tenho nem filhos nem netos", disse ela à DW. Seu marido, com quem ela abriu uma joalheria, morreu dez anos atrás.

"Tenho clientes adoráveis", contou. "Sem o contato humano, acho que se pode cair rapidamente ao menos numa leve depressão."

O dinheiro, no entanto, também foi uma questão. "Meu marido e eu contribuímos pouco para o fundo de pensão", afirmou a aposentada, acrescentando, no entanto, que apesar de ela ter tido responsabilidade nas baixas contribuições, seria "reconfortante ver um aumento no nível de aposentadoria". "Se deus quiser, ainda vou trabalhar por muitos anos", disse.

Envelhecimento da população

Enquanto a população alemã continua a envelhecer, o número de aposentados ainda ocupando um subemprego tende a crescer nos próximos anos, afirmou à DW Holgar Schäfer, economista de mercado de trabalho do Instituto da Economia Alemã (IW).

"A idade em que as pessoas ainda se sentem aptas a trabalhar também está aumentando numa taxa mais rápida que a idade legal de aposentadoria", ressaltou Schäfer.

Na Alemanha, essa idade mínima deverá passar dos atuais 65 anos e sete meses para 67 em 2030, para cidadãos nascidos a partir de 1° de janeiro de 1964.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos