Obama: "EUA não aceitarão Coreia do Norte como Estado nuclear"

Presidente americano defende novas sanções em reação ao quinto e mais potente teste nuclear norte-coreano, que ele chama de grave ameaça à paz e estabilidade internacionais.

O presidente dos EUA, Barack Obama, condenou nesta sexta-feira (09/09) o mais recente teste nuclear da Coreia do Norte, classificando-o de uma "grave ameaça" para a segurança regional e a paz e estabilidade internacionais.

O líder americano afirmou que trabalhará com os aliados dos EUA em novas sanções contra Pyongyang. "Para que fique claro: os Estados Unidos não aceitam e nunca vão aceitar a Coreia do Norte como um Estado nuclear", afirmou Obama em comunicado, no qual destacou que se trata do único país a testar armas nucleares neste século.

O teste desta sexta-feira, data em que é comemorado o 68º aniversário da Coreia do Norte, foi o quinto e maior realizado pelo país. A manobra também foi condenada pelo principal aliado de Pyongyang, a China, pelas Nações Unidas e uma série de outros países, como França, Rússia, Japão, Coreia do Sul e Brasil.

O teste foi realizado na base de Punggye-ri, no nordeste do país, a mesma que foi usada nas detonações nucleares de 2006, 2009, 2013 e de janeiro deste ano. Os testes anteriores geraram sanções por parte do Conselho de Segurança da ONU.

"Violação flagrante"

Obama disse que falou ao telefone com a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye, e o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, sobre o teste nuclear. "Concordamos em trabalhar com o Conselho de Segurança da ONU, nossos outros parceiros do Grupo dos Seis e a comunidade internacional para implementar vigorosamente as medidas impostas em resoluções anteriores e tomar medidas adicionais significativas, incluindo novas sanções", disse Obama. Segundo o presidente, a intenção é mostrar à Coreia do Norte que há consequências para ações desse tipo.

Obama classificou o teste desta sexta-feira de uma violação flagrante das resoluções do Conselho de Segurança da ONU e que "deixa claro o desrespeito da Coreia do Norte a normas e padrões internacionais de comportamento e demonstram que o país não tem interesse em ser um membro responsável da comunidade internacional".

De acordo com os EUA e a Coreia do Sul, a Coreia do Norte lançou no início desta semana três mísseis balísticos em direção ao mar a partir da sua costa oriental, enquanto líderes do G20 se reuniam na China.

De acordo com a Coreia do Sul, o teste nuclear desta sexta-feira liberou 10 quilotons de energia. A bomba lançada pelos Estados Unidos sobre Hiroshima, no Japão, tinha uma potência de 15 quilotons. Segundo a televisão estatal KVTV, a manobra foi uma respostas às sanções internacionais, e o país vai continuar reforçando suas capacidades nucleares.

LPF/rtr/afp/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos