Áustria adia eleições presidenciais

Pleito previsto para 2 de outubro terá que ser realizado em outra data, devido a falha na produção de envelopes para votação por correio. Eleição anterior havia sido impugnada por irregularidades na contagem de votos.

O governo da Áustria anunciou nesta segunda-feira (12/09) o adiamento da repetição das eleições presidenciais, sem detalhar uma data concreta. A votação estava prevista para o dia 2 de outubro.

O pleito teve que ser adiado por causa de erro na produção de envelopes para votação por correio. Os envelopes defeituosos não se fechavam direito, devido à falta de aderência do lacre, o que invalidaria o voto e poderia causar uma nova impugnação do pleito. A votação anterior, realizada em maio, foi anulada em julho por problemas semelhantes.

O ministro do Interior austríaco, o conservador Wolfgang Sobotka, afirmou que o objetivo é realizar as eleições antes do início de 2017, quando for tecnicamente possível.

Como possíveis datas, o ministro mencionou os dias 27 de novembro e 4 de dezembro, embora tenha insinuado não estar descartado que as eleições tenham que ser realizadas só no ano que vem.

A data das novas eleições depende agora do consenso entre os partidos políticos austríacos, que devem reformar a lei eleitoral, possivelmente com maioria qualificada, segundo Sobotka, expressando que sua preferência pessoal é o dia 27 de novembro.

Ele reconheceu que esta situação causou "prejuízo" à imagem do país, embora tenha destacado que se trate de um "problema técnico" que não permite garantir a realização correta do pleito.

Na primeira tentativa da segunda rodada eleitoral, no dia 22 de maio, ganhou o candidato ambientalista Alexander Van der Bellen, por uma margem estreita de 31 mil votos ou apenas 0,6 ponto percentual em relação ao populista de direita Norbert Hofer.

O Tribunal Constitucional da Áustria anulou o pleito após o resultado ter sido contestado na Justiça por Hofer e seu Partido da Liberdade (FPÖ). Eles entraram com recurso apontando diversas irregularidades nos procedimentos de votação e na contagem dos votos por correio.

A Áustria está sem presidente desde 8 de julho, quando Heinz Fischer renunciou após 12 anos como chefe de Estado. Ele foi substituído interinamente pelo presidente e dois vice-presidentes do Parlamento.

MD/afp/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos