Pesquisa mostra Hillary e Trump tecnicamente empatados

Sondagem do "New York Times" e da CBS News mostra que vantagem da democrata sobre republicano diminuiu. Hillary retoma campanha após pausa de três dias devido a uma pneumonia.

Uma pesquisa realizada pelo jornal The New York Times e pela rede CBS News e divulgada nesta quinta-feira (15/09) indicou empate técnico entre os dois principais candidatos à Casa Branca.

Segundo a sondagem, a candidata democrata, Hillary Clinton, tem o apoio de 46% dos prováveis eleitores, com 44% apoiando Trump. Considerando o conjunto de todos os eleitores registrados, a vantagem de Hillary aumenta, com 46% contra 41% para Trump.

Considerando os quatro principais candidatos, Trump e Clinton ficam empatados em 42%. O candidato do Partido Libertário, Gary Johnson, tem o apoio de 8% dos prováveis eleitores, e o candidato do Partido Verde, Jill Stein, de 4%.

A vantagem confortável que Hillary tinha sobre Trump na maioria das pesquisas de opinião vem diminuindo. Estados decisivos, como Ohio e Flórida, já não são mais considerados como certos para a candidata democrata, de acordo com uma projeção da Reuters/Ipsos divulgada no sábado passado.

A sondagem do New York Times e da CBS News também revela um grande descontentamento dos eleitores com os dois principais candidatos. Pouco mais da metade deles expressou forte apoio ao seu escolhido. Os demais disseram ter reservas em relação ao próprio candidato, e outros querem impedir o adversário de ganhar, segundo o diário americano.

A pesquisa ouviu por telefone 1.433 eleitores em todo o país, com margem de erro de três pontos percentuais. Para determinar os prováveis eleitores, os pesquisados foram questionados sobre sua participação em eleições, sua atenção à atual campanha e a probabilidade de irem às urnas.

Hillary retoma campanha

Nesta quinta-feira, Hillary retoma a sua campanha presidencial, depois de um surto de pneumonia que a afastou por três dias e levantou dúvidas sobre a sua saúde. Ela tem agendadas participações num comício em Greensboro, na Carolina do Norte, e num jantar com um grupo latino em Washington.

Hillary passou três dias descansando em sua casa em Chappaqua, Nova York, após uma pneumonia ser diagnosticada. A candidata passou mal no domingo passado, durante a cerimônia em homenagem às vítimas do 11 de Setembro, em Nova York.

A campanha de Hillary divulgou nesta quarta-feira uma nova carta de sua médica, que declara a candidata apta para servir como presidente e se recuperando bem de sua doença recente. A carta - a primeira atualização substancial sobre a saúde de Hillary em mais de um ano - detalha os medicamentos que ela está tomando, seus níveis de colesterol e resultados de uma mamografia.

Trump disse que também planeja publicar detalhes de um recente exame médico, embora não tenha deixado claro quando isso acontecerá nem quantas informações vai fornecer. Até agora, o empresário apenas divulgou uma carta, amplamente ridicularizada, de seu médico de longa data, declarando que ele seria o presidente mais saudável da história.

Já Trump entregou um resumo de seu histórico clínico ao apresentador do programa The Dr. Oz Show, durante a gravação do programa, que vai ser transmitido nesta quinta-feira.

MD/rtr/ap/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos