Justiça bloqueia bens de empresa que transmitiu Rio 2016

Medida visa garantir compensação a funcionários contratados pela OBS. Denúncias apuradas por procuradores teriam revelado que contratados da empresa eram obrigados a cumprir jornadas de trabalho abusivas.

A Justiça do Rio de Janeiro bloqueou nesta segunda-feira (19/09) os bens da empresa responsável pela transmissão dos Jogos Olímpicos. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 1ª Região deferiu a ação após denúncias apuradas por procuradores do trabalho no local do evento.

O bloqueio dos bens da OBS (Olympic Broadcast Services) no Brasil visa garantir a compensação material por possíveis danos a funcionários contratados pela empresa. Segundo o TRT, profissionais admitidos pela empresa teriam sido obrigados a cumprir jornadas abusivas, trabalhando mais de dez horas por dia.

A OBS foi responsável pela produção das imagens e áudios da Rio 2016 que foram entregue às emissoras de rádio e televisão que possuíam direito de transmissão. No Brasil, a empresa contratou mais de 2 mil profissionais através de contratos de pessoas jurídica e por prestação de serviço.

Entre os bens retidos, estão caminhões, equipamentos de transmissão de imagens e sons e móveis usados nas arenas olímpicas. A empresa teve também o dinheiro mantido em instituições financeiras brasileiras bloqueado.

A OBS foi criada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) em 2001 e sua sede fica na Espanha. No Brasil, ela atuava com um CNPJ temporário. A empresa entrou com um mandado de segurança contra a decisão judicial, mas o pedido foi indeferido pela Justiça que manteve o bloqueio dos bens.

CN/ap/abr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos