Ministro austríaco defende demolir casa natal de Hitler

Demolição vai desestimular turismo de neonazistas, que viajam até Braunau am Inn para tirar fotografias em frente ao prédio, argumenta. Outros preferem transformar casa em centro de informação sobre o extremismo.

O ministro austríaco do Interior, Wolfgang Sobotka, afirmou nesta terça-feira (20) que pretende levar adiante o plano de demolir a casa natal do líder nazista Adolf Hitler, na pequena cidade de Braunau am Inn. "Minha proposta está na mesa: demolir e uma nova construção. Seja o que for, mas certamente não um memorial", declarou Sobotka à agência de notícias DPA.

O Parlamento austríaco deverá aprovar em outubro o projeto para desapropriação do terreno, encaminhado pelo governo. A aprovação iniciará um debate público sobre a utilização do espaço, e uma comissão deverá apresentar propostas nesse sentido. O Ministério do Interior espera que, até o fim de 2016, uma decisão sobre o destino da casa seja tomada.

Segundo Sobotka, a demolição do prédio é importante para impedir o turismo de neonazistas, que viajam até a Áustria para tirar fotografias em frente à casa. Ele argumentou que o local tem valor simbólico para os movimentos extremistas. "É importante quebrar essa simbologia por meio de um uso adequado", disse.

O diretor do Centro de Documentação da Resistência Austríaca, Gerhard Baumgartner, defendeu a demolição e disse ser importante retirar toda simbologia do local onde Hitler passou o seu primeiro ano de vida. "Temos que colocar lá algo diante do que ninguém vai querer tirar uma foto: um supermercado, uma loja da Humana [marca de alimentos para bebês], um corpo de bombeiros", declarou à emissora Ö1.

O candidato à presidência da Áustria Norbert Hofer, do partido de extrema direita FPÖ, também defendeu a demolição. "Bem, as únicas opções são fazer um memorial ou derrubar. Se querem minha opinião, eu defenderia derrubar", declarou.

O Estado alugou a casa natal de Hitler em 1972. Durante muitos anos, uma oficina para deficientes funcionou no local. Como a proprietária se recusou a fazer reformas no prédio, ele está vazio desde 2011.

A casa faz parte do centro histórico de Braunau am Inn e foi tombada pelo patrimônio histórico em 1993, o que torna o debate sobre o destino do local ainda mais complicado. Pessoas contrárias à demolição argumentam que derrubar a casa não vai apagar o passado e defendem que o local seja transformado num centro de conscientização sobre os riscos do extremismo.

O prefeito da cidade, Johannes Waidbacher, também defende o que chamou de uso socioeducativo do local. "Queremos um uso historicamente correto da casa de Hitler." Ele disse que não há como apagar o fato de que Hitler nasceu no prédio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos