Dezenas de migrantes morrem em naufrágio na costa do Egito

Estima-se que cerca de 600 pessoas estavam a bordo do barco superlotado. Egito se tornou ponto de partida de migrantes rumo a Europa após fechamento da rota dos Bálcãs.

Autoridades egípcias informaram que uma embarcação com centenas de migrantes naufragou nesta quarta-feira (21/09) no litoral do país, deixando dezenas de mortos.

Segundo autoridades egípcias, 31 corpos foram resgatados, sendo 20 homens, dez mulheres e uma criança. Um correspondente da agência de notícias Reuters relatou ter visto depois um barco pesqueiro trazer mais 12 corpos, totalizando 43.

"Informações iniciais indicam que o barco afundou ao carregar mais pessoas do que a sua capacidade. A embarcação adernou e os migrantes caíram na água" disse Alaa Osman, autoridade da província egípcia de Beheira.

A agência estatal de notícias Mena afirmou que 600 pessoas estavam a bordo. Não foi esclarecido qual seria o destino da embarcação, mas acredita-se que iria rumo à Itália. Segundo autoridades egípcias, os migrantes a bordo eram provenientes da Síria, Egito, Sudão e outros países africanos.

Com o fechamento da rota dos Bálcãs e o acordo entre a União Europeia (UE) e a Turquia que visa cessar o fluxo migratório do país para a Europa, os refugiados buscam rotas alternativas, partindo em números cada vez maiores do Egito e da Líbia.

A agência europeia de fronteiras (Frontex) afirma que o número de migrantes que cruzam o Mar Mediterrâneo a partir do Egito aumentou significativamente. Mais de 12 mil pessoas chegaram à Europa por meio dessa rota entre janeiro e setembro, comparado a 7 mil registrados no mesmo período do ano passado.

RC/ap/afp/dpa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos