Refugiado detido planejava atentado, diz polícia alemã

Adolescente de 16 anos preso em Colônia mantinha conversas no celular com pessoa ligada ao grupo extremista "Estado Islâmico". Interlocutor no exterior chegou a dar instruções para a construção de uma bomba.

Um refugiado sírio de 16 anos preso em Colônia, na Alemanha, planejava um atentado a bomba, afirmou a polícia alemã nesta quarta-feira (21/09). De acordo com investigadores, o jovem possivelmente tinha contato com uma pessoa ligada ao grupo extremista "Estado Islâmico" (EI).

O diretor do departamento criminal da polícia de Colônia, Klaus-Stephan Becker, disse que o adolescente afirmou em conversa num chat na internet sua "disposição inequívoca" de praticar um atentado terrorista. O interlocutor estaria no exterior e passou ao sírio instruções concretas para a construção de uma bomba.

Nas conversas, registradas no celular do suspeito, os dois teriam trocado ideias sobre onde a bomba deveria ser colocada para ter um grande impacto. Investigadores, porém, afirmaram que um alvo concreto para o atentado não é conhecido e disseram não haver evidências de que o adolescente tenha adquirido o material para fabricar o explosivo.

Mudança de comportamento

O sírio foi preso nesta terça-feira num abrigo em Colônia. Na operação, três refugiados ficaram feridos.

A polícia foi alertada em junho sobre a mudança de comportamento do jovem por moradores do abrigo e por funcionários em junho. O sírio teria passado a comer apenas frutas e começou a rezar com mais frequência. Na época, investigadores encontraram no celular do suspeito apenas algumas fotografias relacionadas ao EI.

O segundo controle do jovem ocorreu no início de setembro, após queixas de assistentes sociais de que ele teria se isolado, não olhava mais para ninguém e passava as noites fora do abrigo.

A prisão ocorreu após uma denúncia de uma mesquita da cidade. Há dois meses o adolescente frequentava o local, onde passava horas usando o celular.

Autoridades afirmaram que a radicalização do adolescente foi extremamente rápida. "O comportamento mudou dentro de três meses", ressaltou o chefe de polícia Jürgen Mathies.

O jovem fugiu da guerra na Síria juntamente com seus pais e sua irmã. A família foi pega pelas autoridades alemãs em Dülmen, no norte do estado da Renânia do Norte-Vestfália, no dia 4 de janeiro de 2015. De lá, eles foram levados para um abrigo em Colônia.

A polícia afirmou que as investigações sobre os planos de atentado estão no começo e que o objetivo no momento é descobrir se há outros envolvidos.

CN/rtr/dpa/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos