Líder do Parlamento iraniano esnoba vice-chanceler alemão

Ali Larijani cancela de última hora encontro com Sigmar Gabriel, que lidera visita de empresários ao Irã. Decisão é tomada após críticas à situação dos direitos humanos e ao não reconhecimento da existência de Israel.O presidente do Parlamento do Irã, Ari Larijani, cancelou na última hora, nesta terça-feira (04/10), um encontro com o vice-chanceler alemão, Sigmar Gabriel, em Teerã. A reunião era um dos mais importantes compromissos da visita oficial do líder alemão ao país. O cancelamento ocorreu depois de Gabriel criticar a situação dos direitos humanos no Irã e o papel do país na guerra civil da Síria. O vice-chanceler afirmou que há muitos pontos em comum entre Alemanha e Irã, mas que restam algumas discordâncias. Um exemplo é o não reconhecimento do direito de existência de Israel pelo Irã. Em entrevista à revista alemã Der Spiegel, Gabriel disse que uma relação normal e amigável entre a Alemanha e o Irã só será possível quando o país reconhecer a existência de Israel. A declaração foi criticada pelo Ministério iraniano do Exterior. Na segunda-feira, o vice-chanceler alemão havia se declarado favorável às reformas defendidas pelo presidente Hassan Rouhani, afirmando que "a alternativa ao atual governo é o retorno aos tempos de grandes confrontações". O vice-chanceler também fez críticas ao apoio do Irã ao presidente sírio, Bashar al-Assad, que combate duramente as forças rebeldes em seu país. Por causa dos combates, milhares de pessoas estão sitiadas em cidades como Aleppo. "Pedimos ao governo iraniano que faça todo o possível para viabilizar o cessar-fogo", afirmou, reiterando que todos os que apoiam Assad, inclusive o Irã, compartilham da responsabilidade de pôr fim aos combates. "Acredito que é necessário apelar à responsabilidade desta grande nação", disse o vice-chanceler. Gabriel, que é também ministro da Economia, viajou ao Irã acompanhado de uma grande delegação de empresários alemães, com o objetivo de reforçar os laços comerciais entre os dois países. A reunião com Larijani, tido com um conservador moderado, seria o compromisso de mais alto nível na agenda de Gabriel. Na segunda-feira, porém, ele foi recebido de surpresa pelo vice-presidente iraniano, Mohammad Bagher Nobacht, considerado uma das pessoas mais próximos a Rouhani. Larijani também mantém ligações estreitas com o presidente. Seu irmão, Sadeq Larijani, uma das principais figuras do Judiciário iraniano, criticou os comentários de Gabriel, dizendo que, "se estivesse na posição do governo ou do Ministério do Exterior, jamais deixaria essa pessoa entrar no país". RC/rtr/dpa/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos