Furacão deixa mais de cem mortos no Caribe

Autoridades do Haiti contabilizam 108 mortes e mais de 20 mil prédios destruídos por Matthew, que se aproxima da costa sudeste dos Estados Unidos. Obama declara estado de emergência na Flórida.O furacão Matthew, o mais forte a atingir o Caribe em quase uma década, deixou ao menos 114 mortos na região, segundo números divulgados por autoridades. A maioria das mortes, 108, aconteceu no Haiti, anunciou nesta quinta-feira (06/10) o ministro haitiano do Interior, François Anick Joseph. Uma avaliação parcial dos danos ocasionados pelo ciclone no país indicou que mais de 20 mil prédios foram severamente afetados. Joseph afirmou que o fenômeno causou uma catástrofe no sul do país, e que as informações de que dispõem são parciais porque algumas áreas estão isoladas. O impacto do furacão no Haiti obrigou as autoridades eleitorais a adiar as eleições gerais que estavam programadas para o próximo domingo. As enchentes levaram ao ressurgimento de um surto de cólera, com ao menos oito casos registrados. Em torno de 2 mil casas foram inundadas, e dez escolas, danificadas. Após deixar um rastro de destruição no Haiti, na República Dominicana e em Cuba, o furacão avançou sobre as Bahamas nesta quinta-feira e se aproxima agora do litoral sudeste da Flórida, depois de voltar a ganhar força, sendo novamente classificado como de categoria 4. Próximo dos EUA O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos afirmou que o furacão apresenta ventos máximos constantes de 220 km/h e se desloca rumo ao noroeste com uma velocidade de 22 km/h. A expectativa é que ele chegue à Flórida nesta sexta-feira. A situação levou o presidente Barack Obama a declarar estado de emergência no estado. A medida autoriza as autoridades federais a coordenar a assistência necessária. Rodovias nos estados da Flórida, da Carolina do Sul e da Carolina do Norte estão congestionadas desde a noite desta quarta-feira, com milhões de pessoas se dirigindo para regiões mais seguras após os alertas das autoridades. "Todos em nosso estado devem se preparar para um impacto direto", disse o governador da Flórida, Rick Scott. "Se Matthew atingir diretamente a Flórida, a destruição poderá ser catastrófica, e precisamos estar preparados. A tempestade já matou pessoas. Devemos esperar o mesmo impacto na Flórida." A Geórgia, a Carolina do Norte e a Carolina do Sul, que se encontram na provável rota do furacão, também declararam estado de emergência. Quase 8 mil integrantes da Guarda Nacional estão em alerta. No total, 12 milhões de pessoas se encontram nas regiões onde o alerta de furacão está em vigor. Especialistas destacaram também a perigosa "combinação de ressaca ciclônica e grandes ondas destrutivas que poderão aumentar o nível da água do mar" e causar inundações nas zonas litorâneas. "Haverá um potencial de inundações que podem ameaçar a vida das pessoas durante as próximas 36 horas ao longo da costa leste da Flórida", alertou o NHC. De acordo com o centro meteorológico, Matthew, que chegou a ser classificado de categoria 5, é o furacão mais poderoso que se formou no Atlântico desde Félix, em 2007, que causou mais de 130 mortes durante sua passagem pela Nicarágua. CN/efe/ap/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos