Após matar mais de 800 no Haiti, furacão chega aos EUA

Matthew passa ao largo da costa da Flórida e poupa o sul do estado americano de estragos ainda maiores. Atenções se concentram no litoral norte e em estados vizinhos. No Haiti, total de mortos chega a 842.O poderoso furacão Matthew chegou nesta sexta-feira (07/10) ao sul da Flórida, nos Estados Unidos, com ventos de 195 quilômetros por hora, deixando centenas de milhares de pessoas sem energia elétrica e causando o cancelamento de milhares de voos. De acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA, o centro do furacão se manteve a alguns quilômetros da costa, e a previsão é de que ele continue se movendo ao largo da costa, em direção ao norte, numa velocidade de 19 km/h. Matthew perdeu intensidade na noite desta quinta-feira e foi rebaixado para a categoria 3. Não há relatos de danos significativos nem de feridos no sul do estado. Matthew desencadeou evacuações em massa nos estados da Flórida, Geórgia e Carolina do Sul, onde cerca de 2,2 milhões de pessoas receberam ordem para deixar suas residências. Cerca de 800 mil residências e escritórios ficaram sem energia elétrica na Flórida. Segundo o governador da Flórida, Rick Scott, as preocupações se voltam agora para a cidade de Jacksonville, que pode ser atingida por fortes enchentes. Em torno de 1,6 milhão de pessoas vivem na região metropolitana da cidade. O fenômeno causou indiretamente uma morte nos EUA. Uma mulher de 58 anos que sofreu um ataque cardíaco em Saint Lucie, a 180 quilômetros ao norte de Miami, não pôde ser levada para um hospital nem atendida pelos serviços de emergência por causa das más condições do tempo e acabou morrendo, disseram as autoridades locais. Mais de 4,5 mil voos partindo de e com destino aos estados americanos na rota da tempestade foram cancelados. Todos os voos de e para Orlando nesta sexta-feira e metade dos programados para o sábado foram anulados. Perigo ainda continua Apesar de o sul da Flórida ter escapado de maiores prejuízos, o presidente americano, Barack Obama, advertiu que Matthew ainda é um "furacão perigoso" e pediu à população dos estados atingidos que siga as instruções das autoridades locais. "Quero enfatizar a todos que este ainda é um furacão realmente perigoso", ressaltou Obama na Casa Branca. "Ainda estamos na parte frontal" do furacão, ressaltou, ao acrescentar que serão necessários "três, quatro ou cinco dias" para que se possa conhecer a dimensão real dos estragos. De acordo com o Centro Nacional de Furacões Matthew pode perder intensidade nos próximos dois dias e se tornar uma tempestade tropical, retornando para o sul. A expectativa é que o fenômeno atinja novamente a Flórida e as Bahamas. Mais de 800 mortos Antes de alcançar os EUA, o furacão causou devastação e mortes no Caribe. Ao menos 842 pessoas morreram somente no Haiti, segundo o balanço mais autoridades recente das autoridades, com novas informações sobre o sul do país. Milhares estão desabrigados. Muitas das vítimas moravam em vilas entre as colinas e a costa do país. As mortes foram causadas pelas quedas de árvores, por destroços carregados pelo vento ou pelas cheias dos rios. Em outras regiões do Caribe, ao menos sete pessoas morreram. Após passar por Haiti, Cuba e Bahamas, o furacão seguiu para o sudeste americano. Flórida, Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte declararam estado de emergência, concedendo a seus governadores o poder de convocar a Guarda Nacional. Os danos podem somar bilhões de dólares. CN/rtr/efe/ap/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos