Pitadas: Streuselkuchen, a cuca alemã

Luisa Frey

Bolo de tabuleiro com farofa surgiu na região da Silésia e foi levado para o sul do Brasil por imigrantes. Com ou sem frutas, o quitute é presença certa em padarias da Alemanha e no tradicional café colonial.Com massa fermentada de pão e cobertura de farofa crocante, o streuselkuchen é tão popular na Alemanha quanto no sul do Brasil, onde é conhecido como cuca. Servida no lanche ou no tradicional café colonial, a receita foi levada para o Brasil por imigrantes. É o caso da minha avó, cuja família de origem alemã chegou ao Rio Grande do Sul no século 19. Ela aprendeu a preparar o bolo de tabuleiro com a mãe e, aos 91 anos, mantém a tradição. O cheiro do streusel – a farofa de açúcar, manteiga, farinha e canela – é irrestível quando sai uma fornada. Enquanto no Brasil a cuca é feita somente de massa e farofa ou com ingredientes como uva preta, banana e até goiabada, na Alemanha, maçã, mohn (semente de papoula), cereja, ruibarbo e zwetschge – um tipo de ameixa – estão entre as coberturas mais populares. O streuselkuchen é um dos doces mais comuns nas padarias alemãs. Ele costuma ser vendido em grandes pedaços, que podem ser divididos se você estiver a fim de compartilhar o quitute. Acredita-se que o bolo tenha surgido na Silésia, região que pertence hoje em sua maior parte à Polônia, com pequenas áreas integrando a Alemanha e a República Tcheca. De lá, o streuselkuchen se espalhou por todo o território alemão e, mais tarde, pelo mundo. Em comparação com o pão, o streuselkuchen era considerado um alimento de luxo em Berlim no início do século 20. Além da Silésia, o doce também era de início muito apreciado na Saxônia. Segundo historiadores, ele era preparado em tabuleiros retangulares e comido em grande quantidade pelas famílias. No sul do Brasil, a popularidade do bolo ainda é tão grande que recentemente foi criado o Festival de Cucas de Blumenau, que já teve três edições. Além da versão brasileira, o doce ganhou uma variante na Pensilvânia, nos EUA, chamada de shoofly pie. Aprenda a receita do streuselkuchen ou cuca da minha avó: Ingredientes (para duas fôrmas grandes) Fermento 2 cubos de fermento biológico ½ xícara de leite morno ½ xícara de água morna ½ colher (sopa) de açúcar 1 xícara de farinha Massa 5 xícaras de farinha de trigo Raspas de 1 limão 1 colher (chá) de canela 1 xícara de manteiga 3 ovos 5 colheres (sopa) de açúcar 2 xícaras de leite Streusel (farofa) ½ pacote de manteiga (100g) 1 xícara de açúcar ½ xícara de farinha de trigo 1 colher (chá) de canela Modo de preparo Fermento Colocar os cubos de fermento numa leiteira e desmanchá-los com a mão. Acrescentar o leite, a água, o açúcar e a farinha. Mexer bem até crescer. Se necessário, acrescentar mais água para deixar a consistência pastosa. Massa Colocar a farinha, as raspas de limão e a canela numa bacia. Misturar a manteiga, 2 ovos batidos e o açúcar em banho-maria. Tirar do fogo e adicionar o leite morno. Acrescentar a mistura líquida à de farinha. Juntar o fermento e deixar crescer até encher a bacia. Molhar a mão e dividir a massa em dois. Distribuir e alisar a massa em duas fôrmas retangulares grandes untadas e enfarinhadas. Deixar crescer até encher a fôrma (cerca de 2 horas). Pré-aquecer o forno durante 10 minutos. Bater 1 ovo com 1 colher de açúcar e pincelar sobre a massa. Se quiser, colocar frutas sobre a massa, como maçã, uva ou banana. Streusel (farofa) Misturar com a mão e espalhar por cima da massa ainda antes de crescer. Assar em forno médio por 30 a 40 minutos. Toda semana, a coluna Pitadas traz receitas, curiosidades e segredos da culinária europeia, contados por Luisa Frey, jornalista aspirante a mestre-cuca.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos