Duterte anuncia separação dos EUA

Em Pequim, presidente filipino declara que se separou economicamente dos Estados Unidos e destaca proximidade com a China. Governo americano cobra explicações sobre a declaração e seus desdobramentos.O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, anunciou nesta quinta-feira (20/10) a separação do seu principal aliado, os Estados Unidos, e destacou a proximidade com a China, durante um fórum de negócios chinês-filipino realizado em Pequim. "Anuncio minha separação dos Estados Unidos, militar e economicamente", disse Duterte, sem dar mais detalhes, num discurso muito crítico aos EUA realizado perante o vice-primeiro-ministro chinês, Zhang Gaoli, e após a assinatura de 13 acordos de cooperação com a segunda economia mundial junto a seu colega chinês, Xi Jinping. O líder filipino disse ainda que os Estados Unidos não podem mais ser vistos com o país mais poderoso do mundo, pois estariam devendo à China "muitos empréstimos". Duterte qualificou a reunião com Xi Jinping como histórica: "Ela vai melhorar e desenvolver as relações entre os nossos dois países", ressaltou. Ele também afirmou que espera poder receber empréstimos da China, "não de graça", esclareceu, "para melhorar a vida dos cidadãos filipinos". Segundo números do governo filipino, a China foi em 2015 o segundo parceiro comercial das Filipinas, atrás do Japão e à frente dos Estados Unidos. A declaração levou o governo americano a solicitar explicações a Duterte. "Queremos saber exatamente o que o presidente quis dizer quando falou sobre a separação dos EUA", afirmou John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado americano. "Não está claro para nós o que isso significa e quais seus desdobramentos", acrescentou. CN/efe/lusa/rtr/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos