"Qualificação" de refugiados surpreende na Alemanha

Em um ano, 50 mil migrantes foram empregados no país, aponta diretor de Departamento de Migração. Posicionamento em relação a democracia e mulheres também é avaliado positivamente.Refugiados que chegaram à Alemanha desde setembro de 2015 apresentam qualificações melhores do que se imaginava, afirmou neste domingo (13/11) o diretor do Departamento de Migração e Refugiados da Alemanha (Bamf, na sigla em alemão), Frank-Jürgen Weise. As conclusões de Weise, que também comanda a Agência Federal do Trabalho, têm como base um estudo abrangente do Instituto de Pesquisa de Emprego e Mercado de Trabalho (IAB, na sigla em alemão), que deve ser apresentado oficialmente nesta quarta-feira. A pesquisa também visa avaliar quais são as perspectivas de trabalho para refugiados. De acordo com Weise, cerca de 50 mil refugiados foram empregados na Alemanha entre setembro de 2015 e setembro de 2016. "São atividades predominantemente auxiliares, assim como ocupações nas áreas de logística, armazenamento e agricultura", informou. Alguns refugiados também teriam se tornado profissionais autônomos. Ao mesmo tempo, outros 100 mil teriam se registrado como desempregados. Além da qualificação, os pesquisadores também ficaram positivamente surpresos com o posicionamento de sírios, iraquianos e afegãos, entre outras nacionalidades, em relação à democracia e às mulheres, apontou Weise. A Alemanha recebeu mais de 890 mil refugiados em 2015 e outros 213 mil entre janeiro e setembro deste ano. IP/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos