PUBLICIDADE
Topo

Alemães estão descontentes com UE

Nina Werkhäuser (md)

30/11/2016 14h59

Pesquisa revela que população a Alemanha deseja uma Europa mais coesa, com maior cooperação entre seus membros. Maioria acredita que bloco perde força com Brexit e que deve ter participação mais ativa no mundo.Os alemães estão insatisfeitos com a União Europeia: 62% acreditam que ela não está no caminho certo, segundo levantamento divulgado nesta quarta-feira (30/11), realizado pelo instituto TNS Infratest Politikforschung, por encomenda da Fundação Körber. O Brexit está sendo decisivo para o enfraquecimento da coesão do bloco, na opinião de 67% dos alemães. A maioria deseja dureza nas negociações para a saída do Reino Unido.Uma visão mais crítica sobre a EU é mais pronunciada entre os entrevistados de 18 a 29 anos. Com relação às preferências partidárias, os eleitores do partido populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD) são particularmente críticos em relação à UE. Apenas 2% dos adeptos da legenda acreditam que a UE está no caminho certo. Entre os simpatizantes do partido socialista A Esquerda, eles são 19%, enquanto 50% dos eleitores dos conservadores União Democrata Cristã (CDU) e União Social Cristã (CSU) têm essa opinião.Qual UE os alemães querem?Ao invés de um bloco dividido, os alemães desejam uma UE que atue de forma coesa, que seja transparente e próxima aos cidadãos. Quase unanimemente, os entrevistados disseram desejar uma maior cooperação a nível europeu. "As pessoas querem que a Europa funcione", comentou o ministro do Exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, a pesquisa, citando temas como migração e segurança.No entanto progressos já podem ser reconhecidos, acrescentou. Ele ressalta que há uma grande disposição dos Estados-membros europeus de promover uma política comum de segurança e defesa. Entretanto, somente 54% dos alemães entrevistados apoiam uma força militar conjunta, enquanto 82% acreditam que a UE deve desempenhar um papel mais ativo no mundo.Mais liderança alemãAmplamente aceito, no entanto, é o função de liderança da Alemanha dentro da EU, com 59% dos entrevistados dizendo querer uma ampliação desse papel. Apenas 43% acreditam que o empenho do país é suficientemente reconhecido pelos outros membros do bloco. Uma clara maioria rejeita disponibilizar mais recursos financeiros e humanos a Bruxelas.Quando se trata de reforma da UE, a maioria dos entrevistados deseja cooperação de todos os Estados-membros. Apenas 13% acham que a dupla Alemanha-França possa dar novo impulso à Europa. Mas a maioria quer uma cooperação bilateral mais forte com os principais parceiros europeus: com a França (80%), Itália, Holanda (ambos 71%) e Polônia (67%). Já o apoio à cooperação com o Reino Unido caiu sensivelmente. A maioria dos alemães rejeita uma ampliação da UE. Isto fica especialmente claro em relação à adesão da Turquia, rejeitada por 80% dos consultados.Crise de refugiadosEm relação à superação da crise dos refugiados, 73% acreditam que uma solução só é possível no nível europeu. A mesma porcentagem de entrevistados acredita que os outros Estados-membros da UE não ajudaram a Alemanha a lidar com a crise migratória.Uma esmagadora maioria (91%) pede um maior empenho da UE no combate ao êxodo em outros países, mesmo que associado a custos adicionais. A grande maioria rejeita um fechamento das fronteiras da Alemanha como solução para a crise de refugiados. E, embora o número de refugiados tenha diminuído significativamente, apenas um terço dos entrevistados considera eficiente o acordo de refugiados com a Turquia.