Após réveillon de assaltos, Colônia prepara show de luz

Dagmar Breitenbach (nt)

Além de reforçar a segurança policial, a prefeitura promoverá megaevento ao redor da catedral da cidade. Em 2015, o local foi palco de assaltos e assédios sexuais em massa, que chocaram a opinião pública.Os ataques em massa a mulheres ocorridos em Colônia na noite de réveillon de 2015 repercutiram na imprensa de todo o mundo. Agora há poucas semanas da virada para 2017, a prefeitura da cidade renana anunciou novidades para sua festa de réveillon. Além de reforço policial nas imediações da estação central, ela convidou o artista berlinense Philipp Geist para criar um megashow de luzes nos arredores da Catedral de Colônia, principal cartão-postal da cidade. Conhecido internacionalmente pela realização de grandes instalações luminosas em áreas públicas, Geist projetará, sobre a fachada da catedral e dos prédios vizinhos, luzes coloridas, formas diversas e palavras associadas a Colônia, sugeridas pelos próprios moradores. O show "Time Drifts Cologne" se baseia numa concepção que Geist já realizou com sucesso em outras cidades do mundo. As formas e textos também serão projetados no chão e sobre os participantes do réveillon, como numa névoa colorida. As imagens serão visíveis para todos, de ângulos e perspectivas variados, e acompanhadas por um som ambiente constante. Mudança de imagem O artista comentou à DW que "por ser uma área muito grande, esse projeto em Colônia será um desafio". "Mas estou realmente ansioso para fazê-lo", até porque a catedral gótica de Colônia é seu ponto turístico preferido da Alemanha. "É um lugar fantástico para uma intervenção artística", disse, confiante de que a instalação garantirá "imagens diferentes daquelas que correram mundo depois do último Ano Novo". Em vez de evitarem a cidade, as pessoas estão convidadas a se reunirem no centro, abrindo-se para "emoções positivas". Na virada de 2015 para 2016, foram registradas em Colônia centenas de assaltos e ataques sexuais a mulheres. Segundo as vítimas e testemunhas, os agressores eram, em sua maioria, jovens aparentando origem árabe ou do norte da África. O caso provocou indignação internacional, mas agora "queremos que as pessoas se sintam seguras e mostrar do que Colônia é capaz", frisou a prefeita Henriette Reker. O megashow terá início no fim da tarde de 31 de dezembro, terminando por volta da meia-noite. Por razões de segurança, os visitantes não poderão levar fogos de artifício para o local. Em anos anteriores, Philipp Geist expôs em metrópoles como Teerã, Bangkok e Daca, além de levar suas instalações ao Brasil. No ano Brasil-Alemanha 2015, ele se apresentou no Rio de Janeiro, iluminando o Cristo Redentor e a favela Santa Marta. Na capital alemã, Geist prefere intervenções artísticas mais discretas e intimistas, como o projeto "Hidden Places" (lugares ocultos), em que lançou luzes coloridas sobre velhos prédios históricos pouco conhecidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos