Ataques aéreos matam ao menos 52 na Síria

De acordo com Observatório Sírio dos Direitos Humanos, bombardeios foram praticados por aviões russos sobre regiões controladas por rebeldes. Moscou é um dos mais fiéis aliados do regime Bashar al-Assad.Ao menos 52 pessoas morreram em diversos ataques aéreos sobre a província síria de Idlib, anunciou neste domingo (04/12) o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), sediado em Londres. A maioria das vítimas é formada por civis, informou o Observatório. O OSDH, que dispõe de uma vasta rede de fontes no país, apontou ainda que dezenas de pessoas ficaram feridas nos bombardeios à localidade de Kafr Nabl, onde foi atingida uma praça de mercado. Segundo o Observatório, os ataques foram realizados por aviões russos. No mês passado, a Rússia, um dos mais fiéis aliados do regime Bashar al-Assad, anunciou uma ofensiva nas províncias de Idlib (noroeste) e Homs (centro). Moscou passou a intervir na guerra civil na Síria desde setembro de 2015. Idlib é controlada em grande parte por uma coalizão de grupos rebeldes conhecida como Exército da Conquista. Entre eles, também se encontra a antiga Frente al-Nusra, hoje Frente Fateh al-Sham, que tem ligações com a rede Al Qaeda. A maior parte da província de Homs é controlada pelo governo sírio, mas pequenas regiões estão ainda nas mãos de grupos rebeldes. Atualmente, a Força Aérea Russa participa, entre outros, da ofensiva das tropas do governo fiéis a Assad para a reconquista da cidade de Aleppo, no norte do país. A guerra na Síria, desencadeada em março de 2011 devido à brutal repressão de manifestações exigindo reformas, já causou mais de 300 mil mortos. CA/dpa/lusa/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos