Obama pede investigação de ataques virtuais durante eleição

Presidente americano ordena apuração completa sobre intervenções estrangeiras no país durante período eleitoral. Relatório deve ser entregue antes de ele deixar o cargo. EUA acusam Rússia de estar por trás das invasões.O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu às agências de inteligência do país "uma investigação completa" dos ataques virtuais e intervenções estrangeiras durante as eleições de 2016, informou nesta sexta-feira (09/12) a assessora para assuntos de segurança nacional, Lisa Monaco. A conselheira afirmou que Obama espera um relatório das agências sobre o caso antes de 20 de janeiro, dia em que ele deixa a presidência, e assume o republicano Donald Trump. Segundo ela, os resultados serão compartilhados com parlamentares e uma "ampla gama de interessados". O porta-voz da Casa Branca Eric Schultz disse que a investigação fará um "mergulho profundo" na busca por um padrão de ataques virtuais em períodos eleitorais ao longo de vários anos, desde 2008. "Vamos analisar todos os atores estrangeiros e suas tentativas de influenciar as eleições", afirmou Schultz, destacando que interferências estrangeiras "não têm lugar na comunidade internacional". Ele completou que a entrega do relatório ainda na gestão Obama é "a principal prioridade". No início de outubro, o governo americano acusou formalmente a Rússia de uma série de ataques virtuais contra pessoas e instituições do país, incluindo o Comitê Nacional do Partido Democrata. A suposta invasão por parte de Moscou teria o objetivo de interferir nas eleições de 8 de novembro. Na época, Obama declarou ter alertado o presidente russo, Vladmir Putin, sobre as consequências dos ataques. A Rússia sempre negou participação, classificando a acusação como "absurda". O deputado democrata Adam Schiff, membro do comitê de segurança da Câmara dos Representantes americana, reforçou que a investigação deve ocorrer antes de Trump assumir o governo, "dada sua preocupante recusa em aceitar que o ataque foi orquestrado pelo Kremlin", afirmou em nota. Trump, eleito em novembro para ocupar a Casa Branca, afirmou não estar convencido de que a Rússia esteve por trás dos ataques virtuais contra os Estados Unidos. "Não acredito que eles tenham interferido", disse o magnata à revista Time, que o elegeu personalidade do ano nesta semana. EK/ap/dpa/lusa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos