Lava Jato apresenta nova denúncia contra Lula

Desta vez, ex-presidente é acusado dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro relacionada à Odebrecht. Outras oito pessoas também enfrentam denúncias, entre elas Palocci e Marisa Letícia.O Ministério Público Federal (MPF) apresentou nesta quinta-feira (15/12) nova denúncia – a terceira no âmbito da Lava Jato – contra o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Desta vez, ele é acusado dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro relacionada à empreiteira Odebrecht. De acordo com as denúncias da força-tarefa Lava Jato, apresentadas pelo MPF em Curitiba, Lula liderou o esquema de pagamento de propinas que envolvia a construtora em oito contratos com a Petrobras. É a primeira vez que ele é acusado formalmente por relações com a empreiteira. A denúncia diz que as propinas chegaram a 75 milhões de reais nos contratos celebrados com a petrolífera e incluíram terreno de 12,5 milhões de reais para o Instituto Lula e cobertura vizinha à residência de Lula em São Bernardo (SP), no valor de 504 mil reais. Objetivo, segundo a Lava Jato, era dissimular a origem criminosa do dinheiro. Além de Lula, também foram denunciadas outras oito pessoas. Entre elas estão Marcelo Odebrecht, Antonio Palocci e Branislav Kontic, acusados dos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro; Paulo Melo, Demerval Gusmão, Glaucos da Costamarques, Roberto Teixeira e a ex-primeira-dama Marisa Letícia, junto com Lula, acusados de lavagem de dinheiro. Esta é a terceira denúncia apresentada contra Lula no âmbito da Lava Jato. Ele também foi acusado nas operações Zelotes e Janus. Lula se torna réu sob acusação de lavagem de dinheiro e corrupção A exemplo das demais denúncias, segundo o MPF, Lula é "apontado como responsável por comandar uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar" por meio dos desvios na Petrobras. A denúncia aponta que esse esquema ocorreu nas mais importantes diretorias da empresa, a partir da nomeação de Paulo Roberto Costa e Renato Duque para as diretorias de Abastecimento e Serviços. Esses diretores, de acordo com a denúncia, eram os responsáveis pelo repasse de recursos para o enriquecimento ilícito do ex-presidente, de agentes políticos e demais entidades que participavam do loteamento dos cargos públicos, incluindo partidos que davam apoio a Lula –PT, PP e PMDB. O pagamento da propina destinada ao ex-presidente teria sido intermediado por Palocci, com o auxílio de seu assessor Branislav Kontic, em contato direto com Marcelo Odebrecht. A denúncia do MPF foi elaborada com base em depoimentos, documentos apreendidos, dados bancários e fiscais bem como outras informações colhidas ao longo da investigação. TMS/rtr/efe/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos