Alívio após réveillon pacífico na Alemanha

A polícia registrou apenas pequenos incidentes durante as celebrações de Ano Novo em Berlim e Colônia. A segurança foi reforçada após ataques sexuais do ano anterior e atentado a um mercado de Natal em 19 de dezembro.Segundo os organizadores da festa da virada na capital alemã, centenas de milhares de pessoas compareceram às festividades de réveillon na noite de sábado. A chamada Festmeile (milha festiva), que leva até o famoso Portão de Brandemburgo, foi cercada de barreiras de concreto para prevenir incidentes como o que aconteceu há menos de duas semanas no mercado de Natal da Breitscheidplatz, quando o tunisiano Anis Amri avançou com um caminhão sobre a multidão. Ao entardecer, as pessoas começaram a soltar fogos de artifício, com um grande show à meia-noite, que se estendeu até as primeiras horas de 2017. A polícia de Berlim informou que, exceto por dois casos de assédio sexual, a noite transcorreu tranquilamente. A repórter da DW Laura Schneider disse que no início da noite um homem foi preso após gritar "bomba!" próximo ao Portão de Brandemburgo. A polícia de Berlim comentou pelo Twitter que a atitude "não foi engraçada" e que, por isso, o homem iria passar a virada do ano na companhia da polícia. Tensão em Colônia No oeste do país, na metrópole Colônia, que no réveillon passado foi cenário de ataques sexuais em massa, mais de mil policiais, incluindo muitas oficiais mulheres, foram convocados para atuar nas celebrações de Ano Novo. Mais de 300 policiais foram posicionados só no largo da catedral. A polícia esperava cerca de meio milhão de visitantes em Colônia para as celebrações de Ano Novo. No ano passado, centenas de mulheres denunciaram ter sido agredidas sexualmente por um grande grupo de homens, a maioria imigrantes, que também realizaram furtos, em uma série de crimes que indignaram a opinião pública. Este ano, a polícia revistou mais de mil homens de origem norte-africana, quando eles chegavam à estação ferroviária central e aos subúrbios da cidade. A repórter da DW Dana Regev informou que homens tiveram suas identidades checadas. Ao longo da noite pelo menos seis pessoas foram presas, algumas por não portarem documento de identificação, outras por atos violentos. "Decidimos este ano que qualquer pessoa que não esteja portando documentos apropriados será detida e levada para interrogatório", disse à DW o porta-voz da polícia Dirk Weber. Além disso, segundo ele, pelo menos 20 blocos de concreto foram colocados em pontos-chave da cidade, assim como veículos pesados "para bloquear cruzamentos, principalmente para evitar ataques semelhantes ao que aconteceu em Berlim." Mas apesar da atmosfera tensa, os visitantes não se sentiram ameaçados. Com o avançar da noite, mais e mais pessoas se aglomeraram em torno da histórica catedral para assistir ao show de luzes, ouvir o coral e se preparar para a virada do ano. Ainda assim, o trauma do ano anterior não se dissipou totalmente. A queima de fogos amadores, pelos visitantes – tradição de longa data na Alemanha – foi proibida na área em torno da catedral. Muitas outras cidades alemãs permaneceram em alerta na noite de sábado, em meio a preocupações com ataques terroristas e a repetição do que ocorreu em Colônia. FF/dw/dpa/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos