Escolhidos de Trump enfrentam teste no Senado

Jean-Philip Struck

Senadores sabatinam nomes apontados para compor próximo governo, em audiências encaradas como um termômetro para analisar a capacidade de negociação do magnata com republicanos.Nove ministros escolhidos para integrar o gabinete do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, serão sabatinados a partir desta terça-feira (10/01) em uma série de audiências no Senado americano. A imprensa americana está encarando o processo como um teste para analisar a capacidade de negociação do magnata com seus colegas republicanos no Senado. Trump terá que manter os 52 senadores do partido unidos para confirmar as escolhas. Durante as audiências, os senadores devem analisar o histórico dos indicados e verificar se as escolhas não implicam em conflitos éticos. Senadores democratas já afirmaram que querem analisar o histórico fiscal de cada um deles. As sessões estão previstas para ocorrer entre terça e quinta-feira. Escolhas O primeiro a ser sabatinado será Jeff Sessions, nomeado para ser o novo procurador-geral do país. Em seguida, ocorre a sabatina do general John Kelly, escolhido por Trump como secretário de Segurança Interna. Ambas as audiências devem levantar questões legais sobre os planos de Trump para a imigração, como sua proposta de construir um muro na fronteira dos EUA com o México. Na quarta-feira (11/1), será a vez da sabatina de Rex Tillerson, o indicado de Trump para o Departamento de Estado, pasta responsável pela diplomacia. A escolha de Tillerson, ex-presidente da petrolífera ExxonMobil, é encarada como uma das mais controversas de Trump, por causa dos laços comerciais do indicado com países como a Rússia e Arábia Saudita. Jornais americanos como New York Times afirmam que alguns senadores devem usar essa sabatina para explorar questões envolvendo a simpatia do governo eleito em relação à Rússia. O fogo não deve vir apenas de senadores democratas. Alguns republicanos, como John McCain, já criticaram a escolha de Tillerson para o cargo e devem fazer perguntas espinhosas durante a audiência. Outros três indicados devem passar por audiências no mesmo dia: Mike Pompeo (CIA), Betsy De Vos (Educação) e Elaine Chao (Transporte). Também na quarta-feira, Trump deve conceder uma coletiva de imprensa em Nova York - a primeira desde que foi eleito para o cargo. Na quinta-feira é a vez das sabatinas de James Mattis (Defesa), Ben Carson (Habitação) e Wilbur Ross (Comércio). Chances Os democratas têm pouca chance de bloquear qualquer uma das indicações por causa do tamanho da sua bancada na Casa, mas devem explorar politicamente as controvérsias que envolvem algumas dos nomes. Resta saber se os republicanos vão se manter unidos e confirmar as escolhas de Trump. O porta-voz de Trump, Sean Spicer, disse acreditar que todos os indicados de Trump serão confirmados. "Temos um inacreditável grupo de estrelas", disse. "Acredito que cada um deles será confirmado não apenas com votos dos republicanos, mas também de democratas." O líder dos republicanos no Senado, Mitch McConnell, que tem um relacionamento espinhoso com Trump, concorda. "Acho que todas as indicações do presidente eleito serão confirmadas", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos