Onda de frio ameaça refugiados, diz MSF

Médicos sem Fronteiras afirma que milhares de refugiados vivem em abrigos não adaptados para o inverno ao longo da rota dos Bálcãs. Situação é preocupante em ilhas gregas e na Sérvia.A organização Médicos sem Fronteiras (MSF) afirmou nesta segunda-feira (09/01) que milhares de imigrantes e refugiados estão ameaçados com a onda de frio que atingiu a Europa em acampamentos não adaptados ao inverno na Grécia e ao longo da rota dos Bálcãs. "A negligência cínica da política europeia juntamente com o frio siberiano e a falta de preparação antes do inverno pioraram uma situação, que por si só já é insuportável, para milhares de homens, mulheres e crianças que buscam proteção na Europa", disse a organização num comunicado. De acordo com a MSF, a situação é particularmente preocupante nas ilhas gregas e em Belgrado, onde migrantes, abrigados em edifícios abandonadas, esperam para seguir pela rota dos Bálcãs. Cerca de 2 mil jovens do Afeganistão, Paquistão, Iraque e Síria dormem em prédios vazios na capital sérvia, que enfrenta temperaturas de 20 graus negativos. Mais de 7,5 mil refugiados e imigrantes estão na Sérvia, segundo a organização. Dos 6 mil acolhidos pelo país, apenas 3,1 mil vivem em instalações adaptadas ao inverno. Nas ilhas gregas, cerca de 15,5 mil migrantes vivem em barracas, enquanto esperam pelo processamento dos pedidos de refúgio. "Pedimos que as autoridades gregas e a União Europeia tomem medidas de emergência imediatas, de maneira que todos os refugiados e imigrantes tenham um abrigo digno e condições de vida adequadas", disse a MSF. A organização denunciou ainda a morte de migrantes por hipotermia nas fronteiras da Sérvia e da Bulgária. Crítica europeia A Comissão Europeia afirmou nesta segunda-feira que as condições de abrigos para requerentes de asilo nas ilhas gregas são insustentáveis. Diversas regiões da Grécia foram atingidas por fortes tempestades de neve. Em algumas zonas do país já foi declarado o estado de emergência. O porta-voz do comitê de crise sobre imigração do governo grego, Giorgos Kyritsis, disse à emissora de televisão grega Skai que mil pessoas permanecem alojadas em barracas nas ilhas, que enfrentam temperaturas negativas. Kyritsis disse que o governo tenta transferir os refugiados para hotéis. Em Bruxelas, a porta-voz Natasha Bertaud disse que a Comissão Europeia está fazendo o máximo para apoiar o governo da Grécia. "Mas as autoridades gregas têm a primeira e principal responsabilidade em assegurar adequadas condições de acolhimento e a gestão dos centros de refugiados no país", acrescentou. CN/efe/dpa/lusa/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos